Teresina - PI

Morador reclama de buraco deixado por funcionários da Águas de Teresina

“Eles prometeram deixar tudo do jeito que encontraram, mas não foi isso que aconteceu", contou o morador.

Fábio Wellington
Teresina
26/11/2019 14h30 - atualizado 14h31

Um leitor denunciou ao GP1, na tarde dessa segunda-feira (25), que durante uma obra para a instalação de um hidrômetro, os funcionários da empresa Águas de Teresina não finalizaram o serviço, deixando um largo buraco e pedras soltas no calçamento.

Segundo o denunciante que preferiu não se identificar, os funcionários Águas de Teresina foram trocar o hidrômetro de uma residência na manhã de hoje, na avenida principal do Conjunto Manoel Evangelista, no bairro Dirceu, zona sudeste de Teresina, e não tamparam o buraco feito durante a instalação do aparelho, deixando o serviço pela metade.

  • Foto: GP1Buraco na rua César de Nogueira Barros, bairro DirceuBuraco na rua César de Nogueira Barros, bairro Dirceu

“Eles prometeram deixar tudo do jeito que encontraram, mas não foi isso que aconteceu. Eles deixaram esse buraco e pedras soltas na calçada, impedindo a passagem de alguém, ou provocando até mesmo um acidente, com quem se arrisque passar pelo local”, contou o morador.

Outro lado

A Águas de Teresina informou ao GP1, que em manutenção desse tipo, a concessionária tem o prazo de até cinco dias para recomposição do local que passou por obras. A Águas de Teresina também orienta que todas as demandas sejam formalizadas junto aos canais de atendimento para o devido acompanhamento e solução.

Confira a nota na íntegra

A Águas de Teresina esclarece que o serviço mencionado na reportagem iniciou na manhã desta segunda-feira (25) e foi concluído à tarde. No local foi feita uma padronização da ligação de água. Durante os serviços, equipes identificaram que havia um by-pass (desvio de água antes de passar pelo hidrômetro). Diante disso, houve a necessidade de fazer uma escavação maior. No entanto, todas as etapas dos trabalhos foram finalizadas.

A concessionária informa ainda que, em manutenções desse tipo, o prazo para recomposição é de até cinco dias.

Cabe destacar ainda que ligações clandestinas ao sistema de água e esgoto são consideradas crime, passível de multa e instauração de inquérito policial para investigação.

A Águas de Teresina também orienta que todas as demandas sejam formalizadas junto aos canais de atendimento para o devido acompanhamento e solução.

Mais conteúdo sobre: