Teresina - PI

MP apura falta de médicos plantonistas no Hospital do Mocambinho

A assessoria da Secretaria de Saúde, informou que a unidade de saúde não foi notificada oficialmente acerca da denúncia, mas que a escala médica é fechada com 15 dias de antecedência.

Wanessa Gommes
Teresina
18/05/2019 08h51

O Ministério Público do Estado do Piauí instaurou inquérito para investigar denúncia sobre escala incompleta de médicos plantonistas no Hospital do Mocambinho. A portaria nº 67/2019 foi assinada pelo promotor de Justiça Eny Marcos Vieira Pontes, na segunda-feira (13).

O promotor destacou que foi recebido ofício relatando denúncia, feita através da Ouvidoria do Ministério Público do Estado do Piauí, acerca da não disponibilidade de escala completa de médicos plantonistas na referida unidade de saúde.

A Unidade Integrada do Mocambino é uma unidade de atendimento à saúde do tipo Hospital-Geral que está apta a prestar serviços de Fisioterapia, Teste Ergométrico, Exame Holter 24 horas, Eletrocardiograma, Eletroencefalograma, Eletroneuromiografia, Videoeletroencefalografia, Potenciais Evocados, Radiografia, Radiografia com Contraste, Angiografia, Mamografia, Tomografia Computadorizada, Densitometria Óssea, Ressonância Magnética, Ultrassonagrafia, medicina Nuclear, Coleta de Materiais Biológico, tratamento de tuberculose, Atenção Psicossocial Álcool e Drogas, Urgência e Emergência.

O membro do MP determinou a tomada de providências para a realização de uma inspeção no hospital com a participação do CRM-PI e requisição de manifestação da Direção Geral do Hospital do Mocambinho acerca da escala incompleta de profissionais, bem como informações sobre os serviços ambulatoriais ofertados (lista nominal dos profissionais e de suas especialidades bem como, quantitativo de consultas e exames ofertados).

Será enviada também requisição para a Diretoria de Regulação, Controle, Avaliação e Auditoria da Fundação Municipal de Saúde (FMS) solicitando contrato celebrado com o hospital no que concerne a oferta de tratamento ambulatorial.

Outro lado

A assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Saúde, responsável pelo hospital, informou que a unidade de saúde não foi notificada oficialmente acerca da denúncia, mas que a escala médica é fechada com 15 dias de antecedência para que imprevistos, caso ocorram, sejam informados à diretoria e a troca dos profissionais seja efetuada.

  • Foto: Divulgação/AscomEscala do mês de maioEscala do mês de maio