Piauí

MP denuncia superintendente da Semar Carlos Moura Fé por corrupção

A polícia estima que as irregularidades ocorrem desde 2012 e que o prejuízo é de R$ 3.129.236,04 milhões.

Wanessa Gommes
Teresina
27/06/2019 20h02 - atualizado 20h43

O Ministério Público do Estado do Piauí ofereceu, no dia 19 de junho, denúncia contra seis presos durante a Operação Natureza, deflagrada no final de agosto pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco). Entre os denunciados está o Superintendente da SEMAR (Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), Carlos Antônio Moura Fé. A denúncia foi assinada pela promotora de Justiça, Gianny Vieira de Carvalho.

Os outros denunciados foram: o engenheiro agrônomo Tiago Maximiano Junqueira, o empresário agropecuarista Carlos Alberto do Prado Tenório Filho, o Bebeto, o funcionário público Marcelo de Brito Machado, que não chegou a ser preso, a proprietária da Gontijo Brother Carvoaria, Ivoneta Gontijo dos Santos, e o auditor fiscal ambiental da SEMAR, Fabrício Napoleão Andrade.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Operação NaturezaOperação Natureza

Eles foram denunciados pelo recebimento ilegal de vantagens e ainda pela inserção de informações em sistema para a emissão de licenças ambientais sem a observância da documentação legal exigida.

O MP apontou que há indícios de recebimento de propina para agilizar o trâmite e aprovar projetos de licenciamento ambiental sem a devida análise e apresentação da documentação exigida, bem como indícios de pagamentos escusos para dar prioridade à análise dos projetos de determinados empresários.

A polícia estima que as irregularidades ocorrem desde 2012 e que o prejuízo é de R$ 3.129.236,04 milhões.

Carlos Antônio Moura Fé e o auditor fiscal ambiental Fabrício Napoleão Andrade foram denunciados pelos crimes de corrupção passiva e tráfico de influência; Tiago Maximiano Junqueira, Carlos Alberto do Prado Tenório Filho e Ivoneta Gontijo dos Santos, empresários, foram denunciados pelos crimes de corrupção ativa e tráfico de influência; e Marcelo de Brito Machado, também empresário, pelo crime de tráfico de influência.

A auditora fiscal Daniele Melo Vieira e o empresário César Luiz Barros Martírios Moura Fé, que foram presos durante a operação, não foram denunciados pelo Ministério Público.

Operação Natureza

O Greco realizou, na manhã de 30 de agosto, a "Operação Natureza" que teve como alvo servidores públicos da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Piauí (Semar) e empresários. O superintendente da Semar, Carlos Moura Fé e um servidor público identificado apenas como Fabrício, estiveram entre os presos.

Foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão e 7 mandados de prisão temporária nas cidades de Teresina, Regeneração, Guadalupe e em Brasília, no Distrito Federal. A juíza Júnia Maria Feitosa Bezerra Fialho, titular da 4ª Vara Criminal de Teresina, foi quem expediu os mandados.

A operação teve como objetivo prender agentes públicos e empresários que cometeram crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, associação criminosa, advocacia administrativa, além de crimes ambientais.

Outro lado

Nenhum dos denunciados foi localizado pelo GP1. A assessoria da Semar também foi procurada e informou, através de nota, que se coloca à disposição para colaborar com as informações que forem necessárias.

Confira abaixo a nota na íntegra:

A Secretaria de Estado Meio Ambiente (Semar) reitera que se coloca a disposição para colaborar com as informações que forem necessárias.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Operação Natureza: Empresário Tiago Junqueira está entre os presos

Veja lista de servidores e empresários presos na Operação Natureza

Greco prende servidores da Semar e empresários em Teresina