Marcos Parente - PI

MP investiga ex-prefeito Manoel Emídio e empresário Mário Wagner

A portaria nº 26/2019 foi assinada pelo promotor de Justiça João Batista de Castro Filho, no dia 17 de maio deste ano.

Wanessa Gommes
Teresina
30/05/2019 17h15

O Ministério Público do Estado do Piauí instaurou inquérito civil para investigar o ex-prefeito de Marcos Parente, Manoel Emídio de Oliveira, e o empresário Mário Wagner Coelho de Moura, proprietário da empresa W M Entretenimentos & Edições Musicais. A portaria nº 26/2019 foi assinada pelo promotor de Justiça João Batista de Castro Filho, no dia 17 de maio deste ano.

O objetivo é investigar irregularidades na contratação da empresa W M Entretenimentos & Edições Musicais para prestação de serviços artísticos da banda "Mala sem Alça" para animar os festejos de Marcos Parente, no exercício de 2012, pelo valor de R$ 42 mil.

O promotor destacou que teve conhecimento, através de ação penal, que tramita na comarca de Marcos Parente, proposta em face dos réus Manoel Emídio de Oliveira e Mário Wagner Coelho de Moura, de possíveis atos que configuram a prática de atos de improbidade, inexistindo apuração em curso no âmbito cível.

“(...) não há que se falar em incompatibilidade entre as esferas de responsabilização, uma vez que a Lei n.º 8.429/92 embasará julgamento judicial por ato de improbidade, ao passo que o DL n.º 201/67 e a Lei de Licitação importará em julgamento político ou criminal, a depender do caso”, explicou.

O membro do MP determinou a notificação dos investigados para, querendo, apresentar informações sobre o objeto da presente investigação, no prazo de 15 dias.

Condenação

Em janeiro deste ano, o ex-prefeito e o empresário foram condenados, em ação penal, a 3 anos de detenção, cada um, por dispensar ou inexigir licitação fora das hipóteses previstas em lei.

No entanto, a pena privativa de liberdade foi substituída por duas restritivas de direito, consistentes em multa de 10 dias-multa, e prestação pecuniária de 10 salários mínimos para cada um.

Outro lado

O ex-prefeito e empresário não foram localizados pelo GP1.

NOTÍCIA RELACIONADA

Ex-prefeito Manoel Emídio é condenado a três anos de prisão