São Miguel do Tapuio - PI

Mulher foi estuprada antes de ter sido morta pelo marido no Piauí, diz laudo

Lia Vanessa Araújo Chaves, 37 anos, foi morta por asfixia dentro de casa. O marido é o principal suspeito e continua foragido.

Nathalia Carvalho
Teresina
13/08/2020 14h52 - atualizado 14h53

O laudo pericial apontou que Lia Vanessa Araújo Chaves, de 37 anos, foi estuprada antes de ter sido morta, em São Miguel do Tapuio, distante a 227 Km de Teresina. O feminicídio aconteceu no dia 24 de junho e o principal suspeito, o marido da vítima, continua foragido.

Em entrevista ao GP1, o delegado Aldely Fontenele, titular da delegacia de Castelo do Piauí e responsável pelo caso, informou que no dia do crime a vítima estava seminua deitada na cama e com as peças íntimas rasgadas.

“No dia já foi levantada essa suspeita, a vítima estava com um cobertor na boca e traços de sufocamento e a calcinha rasgada ainda em uma das pernas. Algumas escoriações, manchas e hematomas no corpo, tudo levava a crer de que ocorrera um crime sexual, na perícia isso ficou constatado, realmente”, disse.

Suspeito continua foragido

O principal suspeito do crime, o marido da vítima, identificado como Antônio Fagner de Aguiar, não foi localizado até o momento. Foi expedido um mandado de prisão preventiva contra ele. De acordo com o delegado Aldely, a principal suspeita é de que ele tenha fugido para o estado do Pará, após ter matado Lia Vanessa.

  • Foto: Arquivo PessoalLia Vanessa Araújo Chaves tinha 37 anosLia Vanessa Araújo Chaves tinha 37 anos

“Representamos pela prisão preventiva do suspeito, fizemos algumas incursões pela região com o intuito de captura-lo ainda em São Miguel do Tapuio, mas não o localizamos. A suspeita é de que ele esteja no Pará, que é a sua terra natal. Temos informações de que ele recebeu ajuda de algumas pessoas por aqui e dos parentes paraenses para fugir do estado do Piauí”, contou o delegado.

Um pedido de interceptação telefônica de Antônio Fagner chegou a ser encaminhado para a comarca de São Miguel, mas foi negado pelo juiz titular e as investigações em torno do caso se encontram paradas.

“Chegamos a fazer um pedido de interceptação telefônica que, infelizmente, não foi concedido pelo juiz da comarca de São Miguel e isso acabou atrapalhou muitas nossas investigações e até o presente momento as buscas estão paradas”, informou o delegado Aldely Fontenele.

Relembre o caso

Lia Vanessa Araújo Chaves, de 37 anos, foi encontrada morta por asfixia dentro da própria residência na madrugada do dia de junho na localidade de Lagoa dos Campelos, zona rural de São Miguel do Tapuio.

O corpo foi encontrado pelos filhos do casal, um bebê de um ano e oito meses, outro de seis anos e uma de 10 anos de idade. A vítima estava com o cobertor na boca e com marcas de violência sexual. O casal estava em processo de separação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mulher é morta dentro de casa em São Miguel do Tapuio; marido é suspeito

Mais conteúdo sobre: