Polícia

Nove LGBTs foram assassinados em 2018 no Piauí, diz relatório

Os dados apontam ainda que o Piauí está entre os dez estados com o maior índice de assassinatos de pessoas LGBTs.

Laura Moura
Teresina
31/01/2019 15h06 - atualizado 15h09

No ano de 2018 foram registrados em todo o território nacional 419 mortes de pessoas LGBT+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), somando assassinatos e suicídios. Os dados foram divulgados pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), responsável por realizar o levantamento. No Piauí, nove LGBTs morreram de forma violenta no ano passado.

Os dados apontam ainda que o Piauí está entre os dez estados com o maior índice de assassinatos de pessoas LGBT+. Além disso, houve um aumento de mortes violentas de 2017, com três casos registrados, para 2018. O ano em que foi registrado o maior número de mortes violentas no Estado foi em 2012, com 15 casos.

Veja aqui o relatório

  • Foto: Davi Fernandes/GP117ª Parada da Diversidade em Teresina17ª Parada da Diversidade em Teresina

Em entrevista ao GP1, a coordenadora do Grupo Matizes, Marinalva Santana, explicou que o Estado sempre se destaca negativamente em relação a violência contra o grupo.

“O Piauí, geralmente está entre os primeiros. Em 2014, por exemplo, o Piauí, junto com a Paraíba, foi o Estado em que mais LGBTs foram assassinados. Isso é preocupante. Em 2011, o Piauí também foi o Estado que mais recebeu denúncias de violação de direitos contra LGBTs no disque 100, que é um serviço do Governo Federal. Então, infelizmente, nós estamos muito mal na fita em relação a violência contra os LGBTs”, declarou Marinalva.

Violência a nível nacional

Das 419 mortes violentas registradas no Brasil, 191 das vítimas são gays, 164 travestis e transexuais, 52 são lésbicas e 8 bissexuais. Além disso, cinco heterossexuais, ao serem confundidos com homossexuais ou por estarem na cena do crime com as vítimas, foram mortos no país.

Dentre os Estados em que apresentam os maiores índices de assassinatos de pessoas LGBTs está em primeiro lugar Alagoas, com 20 mortes seguido por Amazonas com 19, Mato Grosso com 16, Rio Grande do Norte com 15 e Paraíba com 14 homicídios. Em São Paulo, apesar de 58 LGBTs terem sido assassinados, o Estado ainda apresenta um dos menores índices em relação aos demais.

Mais conteúdo sobre: