Saúde

Novo vírus da gripe com potencial de infectar milhões de pessoas é encontrado na China

Segundo os pesquisadores, essa linhagem surgiu recentemente e tem como hospedeiros os porcos, mas pode infectar seres humanos.

Nayrana Meireles
Teresina
29/06/2020 21h36 - atualizado 30/06/2020 07h43

Um novo estudo feito por cientistas aponta que uma nova cepa do vírus da gripe com potencial de causar uma pandemia foi identificada na China.

Segundo os pesquisadores, essa linhagem surgiu recentemente e tem como hospedeiros os porcos, mas pode infectar seres humanos. A preocupação é que possa haver uma mutação ainda maior nessa gripe e ela possa se espalhar facilmente de pessoa para pessoa e desencadear assim um surto global.

Os pesquisadores dizem que a cepa tem "todas as características" de ser altamente adaptável para infectar seres humanos e precisa ser monitorada de perto. Como se trata de uma nova linhagem do vírus influenza, que causa a gripe, as pessoas podem ter pouca ou nenhuma imunidade a ela.

Essa nova cepa do influenza está entre as principais ameaças que os especialistas estão monitorando. A última gripe pandêmica enfrentada pelo mundo foi em 2009, com o surto de gripe suína, que começou no México. O surto foi menos mortal do que se temia inicialmente, principalmente porque muitas pessoas mais velhas tinham alguma imunidade a ela.

Agora o vírus da gripe suína, chamado A/H1N1pdm09, é combatido pela vacina contra a gripe que é aplicada anualmente para garantir que as pessoas estejam protegidas.

A nova cepa de gripe identificada na China é semelhante à da gripe suína de 2009, mas com algumas mudanças. Ela ainda não apresentou grande ameaça, mas segundo o professor Kin-Chow Chang, é preciso ficar atento, pois o vírus, que os pesquisadores chamam de G4 EA H1N1, pode crescer e se multiplicar nas células que revestem as vias aéreas humanas.

Os estudiosos descobriram evidências de infecção recente em pessoas que trabalhavam em matadouros e na indústria suína na China. As vacinas contra a gripe atuais não parecem proteger contra isso, embora possam ser adaptadas, se necessário.

Em entrevista à BBC, o professor Kin-Chow Chang, que trabalha na Universidade de Nottingham, no Reino Unido, disse que não se deve ignorar um novo vírus potencialmente perigoso. "No momento estamos distraídos com o coronavírus e com razão. Mas não devemos perder de vista novos vírus potencialmente perigosos. Não devemos ignorá-lo".

Os pesquisadores escreveram na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências britânica, que medidas para controlar o vírus em porcos e monitorar de perto as populações trabalhadoras devem ser rapidamente implementadas.

Segundo o professor James Wood, chefe do Departamento de Medicina Veterinária da Universidade de Cambridge, o trabalho "vem como um lembrete salutar" de que estamos constantemente sob o risco do surgimento de patógenos e que animais de criação, com os quais os seres humanos têm maior contato do que com a vida selvagem, podem ser uma fonte de vírus pandêmicos.

Mais conteúdo sobre: