Teresina - PI

OAB-PI apresenta dispositivo de visão artificial OrCam MyEye

O evento aconteceu no hall da OAB e contou com a presença dos membros da Associação dos Cegos de Teresina (ACEP).

Jonas Carvalho
Teresina
10/05/2019 17h37 - atualizado 17h37

Na manhã desta sexta-feira (10), o presidente da Comissão de Direitos das Pessoas com Deficiência, Joaquim Santana, esteve reunido na sede da OAB-PI com representantes da empresa Mais Autonomia para a apresentação do dispositivo de inteligência e visão artificial OrCam MyEye. O evento aconteceu no hall da OAB e contou com a presença dos membros da Associação dos Cegos de Teresina (ACEP).

O dispositivo vestível é um equipamento de inteligência intuitiva e já está presente na Acep com três unidades doadas. Possuindo o tamanho de um pendrive e o peso máximo de 22 gramas, o aparelho pode compor a armação de um óculos convencional a partir de um imã em sua estrutura.

Seu funcionamento é simples. A câmera localizada na ponta do dispositivo realiza a leitura do ambiente, fotografa e, a partir de seu armazenamento, descreve em áudio o local registrado. Além disso, o OrCam MyEye tem capacidade para ler textos em português, reconhecer rostos, cores e cédulas de real.

  • Foto: Hélio Alef/GP1Dr. Camila Moraes.Camila Moraes

Camila Moraes, advogada e membro da Acep, contou como foi sua experiência com o dispositivo. A advogada revelou que sua preparação para o teste do exame de ordem da OAB foi feito pelo aparelho. Segundo Camila, todos os dias ela se deslocava até a sede da associação para usufruir do equipamento digital.

“Eu usei o dispositivo da associação dos cegos de Teresina, que recebeu esse produto através de uma doação. Dentro das dependências da instituição, eu utilizei o equipamento para estudar para a segunda fase da prova da OAB, levava meus livros para a associação e estudava lá com o dispositivo, sob a orientação de um professor”, revelou.

De acordo com Joaquim Santana, a OAB estará conversando com os órgãos públicos do estado para a aquisição do equipamento e difusão da tecnologia pelo estado.

“Nós vamos estar conversando com os órgãos públicos até porque nós temos uma secretaria de inclusão da pessoa com deficiência do estado do Piauí, é fazer com que a secretaria possa adquirir esses equipamentos para colocar à disposição das pessoas com deficiência visual e que eles possam progredir. Há uma preocupação nossa da OAB, enquanto defensor da sociedade, de estar divulgando um equipamento tão importante para as pessoas com deficiência visual”, informou.

Embora haja no estado do Piauí apenas três dispositivos como esse, todos pertencentes à Associação dos Cegos de Teresina, o preço para a aquisição do produto é alto. Apenas um aparelho custa em média R$ 19 mil, fora as despesas de manutenção e frete, já que a empresa é lograda em São Paulo.

Mais conteúdo sobre: