Economia e Negócios

Piauí apresenta o 4º menor rendimento domiciliar do país, diz IBGE

Em 2019 o rendimento mensal domiciliar per capita da população no Piauí foi de R$ 827,00, o quarto menor dentre os rendimentos dos estados brasileiros, superando apenas o Pará, Alagoas e Maranhão.

Davi Fernandes
Teresina
28/02/2020 18h00 - atualizado 18h01

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (28) os valores dos rendimentos domiciliares per capita referentes ao ano de 2019 e apontou que o Piauí é o quarto estado com o menor rendimento domiciliar do Brasil. A pesquisa é feita com base nas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua.

Em 2019 o rendimento mensal domiciliar per capita da população no Piauí foi de R$ 827,00, o quarto menor dentre os rendimentos dos estados brasileiros, superando apenas o Pará (R$ 807,00), Alagoas (R$ 731,00) e o Maranhão (R$ 636,00). O rendimento domiciliar per capita registrado no Piauí equivalia a cerca de 57,47% do que foi observado para o Brasil (R$ 1.439,00) e a cerca de 30,78% do que foi observado para o Distrito Federal (R$ 2.686,00).

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1DinheiroDinheiro

As informações referentes ao rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população dos Estados, prestada pelo IBGE ao TCU, com o objetivo de delimitar critérios da divisão do Fundo de Participação dos Estados (FPE), começou a ser divulgado a partir do ano de 2015, quando o Piauí apresentou um rendimento domiciliar de R$ R$ 728,00, evoluindo para R$ 747,00 em 2016, R$ 750,00 em 2017, R$ 817,00 em 2018 e R$ 827,00 em 2019. De 2015 até 2019 houve uma elevação de 13,6% no rendimento domiciliar per capita do Piauí.

O rendimento domiciliar per capita foi calculado entre o total dos rendimentos domiciliares e o total dos moradores. Todos os moradores são considerados no cálculo, inclusive os moradores classificados como pensionistas, empregados domésticos e parentes dos empregados domésticos. Os resultados foram obtidos a partir dos rendimentos brutos de trabalho e de outras fontes.

De acordo com o IBGE, o crescimento percentual do rendimento mensal domiciliar, no período de 2015 a 2019, o Piauí teve o quarto menor crescimento, com 13,60%, estando à frente apenas dos Estados do Amazonas, com 11,82%, do Amapá, com 4,76%, e de Roraima, com 3,57%. Os estados com maior percentual de crescimento do rendimento mensal domiciliar per capita foram o Rio de Janeiro, com 46,57%, Mato Grosso do Sul, com 45,02%, e Ceará, com 38,33%.

Mais conteúdo sobre: