Teresina - PI

Pichação com símbolo nazista é apagada de muro em Teresina

De acordo com o delegado Emir Maia, a direção do cemitério mandou apagar a pichação na última sexta-feira (06). 

THAIS GUIMARÃES E BRUNA DIAS
09/01/2017 17h48 - atualizado 18h05

A frase “Lugar de ‘traveco’ é no cemitério” e uma cruz suástica, símbolo do Nazismo, que haviam sido pichadas em um muro do Cemitério São Judas Tadeu, localizado na avenida João XXIII, foram apagadas. O GP1esteve no local na manhã desta segunda-feira (09) e registrou o fato. De acordo com o delegado Emir Maia, que está investigando o caso, a própria direção do cemitério mandou apagar a pichação na última sexta-feira (06). 

  • Foto: Lucas Dias/GP1Camitério são Judas Tadeu Cemitério São Judas Tadeu

Segundo o delegado, as investigações não vão ser prejudicadas. "Foi a direção do cemitério que mandou apagar. Estava no dia, sexta-feira, mas tenho fotografias, não prejudica em nada", ressaltou. 

O Grupo Piauiense de Transexuais e Travestis (GPTRANS) se pronunciou sobre o caso. Em entrevista ao GP1, a presidente do GPTRANS, Maria Laura dos Reis, manifestou repúdio à manifestação de ódio. “Repudiamos qualquer tipo de ato que venha a cercear o direito das pessoas travestis e transexuais, lamentamos também que nos dias atuais ainda tenham pessoas com pensamentos retrógrados que venham a ferir direitos humanos de outras pessoas”, declarou.

  • Foto: Divulgação/Polícia CivilMuro do cemitério São Judas TadeuMuro do cemitério São Judas Tadeu

Ainda segundo Maria Laura, o GPTRANS já denunciou o caso aos órgãos competentes. “Esperamos realmente que as autoridades competentes investiguem e tomem as providências cabíveis para inibir qualquer tipo de prática de violação de direitos. Comunicamos aos órgãos competentes, não temos poder de investigação, prisão ou justiça, o que a gente pode fazer é denunciar e acompanhar, fazer o monitoramento de como está andando o caso. O delegado de direitos humanos está investigando e esperamos que essa situação seja elucidada o mais rápido possível”, pontuou.

Investigação policial

A Polícia Civil, através da Delegacia de Defesa e Proteção dos Direitos Humanos e Repressão às Condutas Discriminatórias está investigando a existência de grupos nazistas em Teresina. O delegado Emir Maia ressaltou que as investigações estão em andamento e nenhum suspeito de pichar o muro do cemitério foi identificado.   

Cruz suástica

A cruz suástica é símbolo do Nazismo, movimento facista de extrema direita liderado por Adolf Hitler na Alemanha, que perseguiu e dizimou judeus, LGBTs e outras minorias.