Valença - PI

PM encontra casa usada por quadrilha que explodiu bancos em Campo Maior

A casa foi encontrada pela Força Tática da Polícia Militar de Valença nesta quarta-feira (08).

Davi Fernandes
Teresina
09/05/2019 18h15 - atualizado 18h15

Foi encontrada nesta quarta-feira (08), a residência utilizada pelos criminosos que explodiram e roubaram duas agências bancárias em Campo Maior no dia 30 de abril.

Conforme o sargento Ranier, o serviço de inteligência da Força Tática de Valença conseguiu localizar o local entre os municípios de São João da Canabrava e Lagoa do Sítio e recuperar um veículo que foi roubado pelo chefe da quadrilha, Antônio Paulo de França, no início do mês de março, em um supermercado na zona leste da Capital.

"Através do serviço de inteligência da Força Tática de Valença, localizamos a residência onde os bandidos se hospedaram e planejaram toda a ação foi planejada a qual fica na localidade Sítio Velho, zona rural entre os municípios de São João da Canabrava e Lagoa do Sítio. Depois entramos no matagal e encontramos o Corolla que foi roubado em Teresina em um estacionamento", informou o sargento.

  • Foto: Divulgação/PMResidência encontrada pela PMResidência encontrada pela PM

Ainda de acordo com o sargento, fora do veículo os policiais encontraram maçarico, solda, bateria e demais instrumentos utilizados para abrir cofres e potencializar a ação do explosivo. O veículo foi levado para a Delegacia de Valença e posteriormente será encaminhado à sede do Greco em Teresina.

Morto em confronto

Paulo França foi morto durante confronto com a polícia, na madrugada de segunda-feira (06), em Barras. Ele foi apontado pela polícia como o responsável por contratar os demais integrantes da quadrilha que explodiu e roubou as agências. As investigações da polícia apontaram que na residência ocorria a circulação de veículos. A PM acredita que a residência pertença a integrantes da quadrilha que auxiliaram na área logística.

  • Foto: Divulgação/PC-PICorolla estava escondido em um matagalCorolla estava escondido em um matagal

Relembre o caso

No dia 30 de abril, criminosos fortemente armados explodiram duas agências bancárias no centro de Campo Maior. Aproximadamente 15 homens entraram nas agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, explodiram os bancos e, em seguida, se dirigiram aos cofres, de onde levaram o dinheiro.

No último domingo (05), cinco suspeitos de integrar a quadrilha que praticaram o roubo foram mortos durante um confronto com a Polícia Militar do Piauí e do Ceará em Cocal.

Outros cinco indivíduos foram presos pela Força-Tarefa da Secretaria de Segurança Pública. Eles foram identificados como Dyego Harmando Cardoso Rocha, Hassan Rufino Borges Prado Aguiar, Emerson Souza da Silva, Vinícius Pereira da Silva Júnior, Josenverton dos Santos Sousa. Vale ressaltar que Hassan Rufino Borges Prado Aguiar é filho do coronel Francisco Prado, ex-comandante da PM-PI, que morreu em abril de 2015.

Ainda na noite do domingo (05), a Secretaria de Segurança Pública informou que mais um suspeito de integrar o grupo criminoso veio a óbito. Já na madrugada desta segunda-feira (06), dois indivíduos foram mortos em Barras, sendo que um deles trata-se de Paulo César dos Santos, único piauiense do grupo.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Carro roubado por assaltante de banco é achado pela PM de Valença

Morre 6º acusado de integrar quadrilha que explodiu bancos em Campo Maior

Polícia mata mais dois acusados de explodir bancos em Campo Maior

Filho de coronel e outros 4 são presos por explodir bancos em Campo Maior

Suspeitos de roubar bancos em Campo Maior são mortos em confronto com a PM

Mais conteúdo sobre: