Polícia

Polícia prende empresários e descobre 19 empresas laranjas no Piauí

De acordo com o delegado João José, os prejuízos causado aos cofres públicos giram em torno de R$ 93 milhões.

Laura Moura
Teresina
16/07/2019 10h08 - atualizado 11h29

Policiais civis da Delegacia de Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributária e as Relações de Consumo (Deccoterc) prenderam no início da semana dois empresários sócios da Pérolas Distribuição Logística Limitada, em Anápolis – GO. A partir das prisões, foram descobertas 19 empresas laranjas no Estado do Piauí. Os nomes das empresas não foram divulgadas, segundo a polícia, para não atrapalhar as investigações.

O delegado João José, o "J.J", que preside as investigações do caso, informou que as empresas de fachada compravam, por meio de terceiros, da Pérolas e os dois empresários, identificados como Maurício Miguel e João Batista Victor, sabiam que eram laranjas.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Delegado João José, o JJDelegado João José, o JJ

“Essa empresa é uma das maiores atacadistas e varejistas no centro-oeste brasileiro. Eles vendem e não interessa para quem eles estão vendendo. Essas empresas compravam através de terceiros e eles já sabiam que elas eram laranjas, mas vendiam porque estavam ganhando. Então, eles emitiam a nota na empresa laranja”, explicou.

Desse modo, foi constatada a prática de sonegação fiscal. “A sonegação de impostos acontece quando os proprietários da Pérola vendiam para empresas laranjas, eles pagavam um imposto de Goiás referente a 2% do valor. Porém, os que compravam em nome do laranja não pagavam os impostos. Ou seja, não vinha a mercadoria e nem a tributação”, contou o delegado.

O delegado João José ainda destacou que o prejuízo causado aos cofres públicos gira em torno de R$ 93 milhões. Porém, mais da metade já foram prescritos, ou seja, aconteceu a perda da obrigação do Estado de agir contra as empresas. Ao todo, 17 pessoas foram indiciadas no Piauí, fora os empresários em Goiás. Somente um está foragido, pois se encontra nos Estados Unidos.