Piauí

Policiais civis do Piauí presos na Operação Infiltrados são promovidos

O decreto foi assinado nessa segunda-feira (29) e publicado no Diário Oficial do Estado. Além da promoção dos agentes, há também uma relação dos delegados e escrivães promovidos.

Wanessa Gommes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
30/06/2020 21h36 - atualizado 22h29

Onze dos 16 policiais civis presos no ano de 2017, durante a Operação Infiltrados, do Greco, que desarticulou um grupo criminoso acusado de fraudar o concurso público da Polícia Civil do Piauí, foram promovidos.

O decreto foi assinado nessa segunda-feira (29) e publicado no Diário Oficial do Estado. Além da promoção dos agentes por antiguidade, há também uma relação dos delegados e escrivães promovidos.

Postos em liberdade pouco depois da ação policial, os alvos da Operação Infiltrados retornaram às suas atividades normalmente e, por último, ainda conseguiram mudar de classe, o que representa também aumento nos seus vencimentos, dependendo da classe alcançada. Neste caso, todos avançaram da terceira para a 2ª classe.

Confira a relação dos policiais promovidos:

André Luis de Carvalho

Antônio Lopes da Silva Júnior

José Clodomar de Sabóia Júnior

Maria dos Remédios Alcântara Santiago de Jesus

Priscila de Almeida Lima

Paulo Alberto Machado Cerqueira

Thiago da Silva Macedo

Aline de Miranda Carvalho Nobrega

Cyro Nascimento Fonsêca

Jean Ribeiro da Costa

Regis Carlos de Oliveira Sousa (perito médico-legal)

Operação Infiltrados

A Secretaria de Segurança Pública do Piauí e a Delegacia Geral da Polícia Civil, através do Grupo de Repressão ao Crime Organizado – GRECO, Corregedoria de Polícia Civil e Diretoria de Inteligência da SSP-PI deflagraram em 09 de maio de 2017, a Operação Infiltrados com o objetivo de desarticular uma organização criminosa, formada por policiais civis, especializada em fraudes a concursos públicos, em especial, ao certame para Agente de Polícia Civil, realizado no ano de 2012.

As investigações tiveram início em 2016, após a deflagração da Operação Veritas, que culminou na prisão de 30 pessoas acusadas de fraudar o concurso do Tribunal de Justiça.

A operação contou com apoio de cerca de 100 policiais civis do Greco, Corregedoria de Polícia Civil, Diretoria de Inteligência da SSP-PI, Gerência de Polícia do Interior, Metropolitana e Especializada, Unidades de Polícia Civil da Capital e do Interior, além da DRF – Delegacia de Roubos e Furtos da Polícia Civil do Ceará e da 24ª Delegacia Seccional de Araripina-PE.

Policiais denunciados

O Ministério Público do Estado do Piauí denunciou à Justiça 13 policiais civis e 1 perito médico-legista presos durante a operação Infiltrados. A denúncia foi apresentada pelo promotor de Justiça Jorge Luiz da Costa Pessoa, no dia 8 de junho de 2017.

Os policiais denunciados foram: Cyro Nascimento Fonseca, Anderson Vasconcelos da Nobrega, Jean Ribeiro da Costa, Aline de Miranda Carvalho Nobrega, Thiago da Silva Macedo, Priscila de Almeida Lima Sabóia, Paulo Alberto Machado Cerqueira, Cícero Henrique de Sousa Araújo, Ricardo Araújo Mesquita, Maria dos Remédios Alcântara Santiago de Jesus, José Clodomar Sabóia Júnior, Antônio Lopes da Silva Júnior, André Luís de Carvalho e Regis Carlos de Oliveira Sousa (perito médico-legista).

Também foram denunciados o advogado Edilberto de Carvalho Gomes, o estudante de medicina, Sávio de Castro Leite, os agentes penitenciários José Vilomar Nunes Pereira e Cristiane Maria Alcântara Santiago, o servidor público estadual Cristian Alcântara Santiago, Marcelo Freire, Joselito Batista Alves, Hermeson José da Silva, Willams da Silva Alves, Jardeanny Ernesto da Silva, Paulo Roberto Scarcela Muniz, Marcos Fernando do Carmo Nunes e Maurício da Silva Lima.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

MP-PI denuncia 13 policiais civis por fraude em concurso público

Operação Infiltrados prende policiais civis por fraude em concurso