Uruçuí - PI

Prefeito Dr. Wagner retira serviço de UTI móvel do Samu em Uruçuí

“A justificativa do prefeito seria para fazer uma economia no valor de R$ 100 mil. Fazer uma economia na área da saúde, enquanto vários municípios estão ampliando o Samu", disse o denunciante.

BÁRBARA RODRIGUES
DE TERESINA
13/03/2018 11h14 - atualizado 11h16

A decisão do prefeito de Uruçuí, Dr. Wagner Coelho (PROS), em retirar o serviço de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) do município, tem gerado críticas da população. Uma pessoa que preferiu não se identificar, denunciou que a situação da saúde na cidade está preocupando os moradores e criticou a decisão do prefeito.

Segundo o denunciante, o prefeito tem tomado medidas em prol da economia, mas os moradores estão sendo prejudicados, já que eles precisam se deslocar para a cidade de Floriano para atendimento médico. A cidade vai permanecer apenas com o atendimento básico do Samu.

“A justificativa do prefeito seria para fazer uma economia no valor de R$ 100 mil. Fazer uma economia na área da saúde, enquanto vários municípios estão ampliando o Samu, o prefeito vai retirar esse serviço. A UTI mais próxima da cidade de Uruçuí fica a 240 km, na cidade de Floriano e o hospital da cidade está há anos em uma reforma que nunca foi concluída. A cidade mais rica do Piauí está pedindo socorro na saúde e educação”, disse.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Dr. Wagner, Prefeito de UruçuíDr. Wagner, Prefeito de Uruçuí

Outro lado

O GP1 procurou nesta terça-feira (13) a assessoria de imprensa da prefeitura de Uruçuí para tratar sobre o assunto. Ela encaminhou uma nota de esclarecimento da secretaria municipal de Saúde referente à mudança implementada, destacando que o atual gestor recebeu ambulâncias sucateadas e que em 2015 o governo federal e estadual cancelaram recursos destinados para a área devido a falta de melhorias.

“A atual gestão foi a Brasília e relatou os problemas, valores da folha e de manutenção desses serviços e lá técnicos do Ministério da Saúde perguntaram por que o município mantinha esse serviço se poderia ficar com o atendimento básico. O prefeito Dr. Wagner Coelho analisou os dados e viu que poderia implantar o SAMU básico complementando com o SAMU municipal, inclusive, com dois telefones o 192 e outro tipo 0800 com acesso a atendimento de celulares, pois quase todo mundo hoje tem um aparelho celular”, disse.

Confira a nota na íntegra:

Como sempre me posicionei, acho importante fazê-lo agora em relação à redução dos serviços do SAMU em Uruçuí; no geral cidades com menos de 50.000 habitantes os gestores implantam o SAMU com atendimento básico, quando se implanta os dois tipos de atendimento, o suporte avançado tem uma ambulância equipada que exige profissionais como sete médicos, sete enfermeiras, sete motoristas, e toda uma estrutura para um atendimento complexo.

Em Uruçuí esse serviço quando liberado pela central é para a cidade e algumas localidades da zona rural (as de mais fácil acesso) no outro serviço são necessários sete motoristas, sete técnicas de enfermagem, apenas. No início tinham até 04 ambulâncias, mas no decorrer do tempo ficaram sucateadas em consequência talvez das estradas e algumas faltas de revisão/ manutenção, desde o mês de abril de 2015 por falta de alguns membros das equipes, já não tinha esses profissionais, as ambulâncias estavam sucateadas, falta de ar na farmácia, espaços exigindo adequações.

Como não foram feitas, em abril de 2015, o governo federal e estadual cancelaram recursos e aumentaram os problemas: atraso de pagamento de pessoal (temos várias notificações com mandatos dessa época p pagar, atraso do INSS (de todos os servidores da saúde) feita uma auditoria das compensações, atraso do mês de dezembro de 2016). Com tudo isto foi gerando uma bola de neve. De 2017 até agora não teve atraso de pagamento de pessoal, pago INSS de todos os servidores da saúde, feitas as adequações exigidas, recuperamos as ambulâncias velhas, mas continuam ruins, uma perdeu o freio inclusive em serviço, segundo depoimento dos profissionais. A atual gestão foi a Brasília relatou os problemas, valores da folha e de manutenção desses serviços e lá técnicos do Ministério da Saúde perguntaram por que o município mantinha esse serviço se poderia ficar com o atendimento básico.

O Prefeito Dr. Wagner Coelho analisou os dados e viu que poderia implantar o SAMU básico complementando com o SAMU municipal, inclusive com dois telefones o 192 e outro tipo 0800 com acesso a atendimento de celulares, pois quase todo mundo hoje tem um aparelho celular.

O Prefeito irá adquirir mais ambulâncias e estaremos monitorando este serviço, inclusive em parceria com o hospital órgão responsável por assistir urgências e emergências. A garantia é ter ambulâncias funcionando com combustível à disposição e um monitoramento do 192 e da OM Uruçuí, através da Secretaria de Saúde. Desabilitarão da USA, serviço avançado está com o jurídico e o projeto do SAMU 192 básico e municipal, também.

Todos os usuários terão as duas opções. Essa é nossa colaboração para o entendimento das pessoas. Com isto a equipe será composta de sete motoristas, sete técnicos, e outros dois na reserva para os atendimentos externos. Não entrou nenhum recurso para o SAMU de 2015 até o momento. Estamos mantendo com recursos de repasse- FUS, realizando o jogo de prioridades; e como todos sabem quando se tem que fazer seleção, sempre fica falhas nos outros setores. A responsabilidade do município é com a atenção básica.

Mais conteúdo sobre: