Economia e Negócios

Presidente do Banco Central sinaliza corte na taxa de juros

Segundo Illan Goldfajn, a inflação está “bem comportada” e o banco poderá continuar reduzindo os juros.

Nayrana Meireles
Teresina
02/01/2018 15h35 - atualizado 15h36

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou nesta terça-feira (2), que a inflação está “bem comportada” e sinalizou que, por isso, o banco poderá continuar reduzindo os juros básicos da economia, atualmente em 7% ao ano, na mínima histórica.

"Sim, a gente tem sinalizado para frente quando a gente vê que tem alguma possibilidade [de redução dos juros]. Que existe a possibilidade, desde que a inflação continue baixa, que os riscos continuem como estão hoje, não fiquem maiores, ou menores. Dado isso, sinalizamos que há uma possibilidade de uma redução moderada da flexibilização monetária, da taxa de juros, mas também falamos que há mais incertezas", declarou.

  • Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão ConteúdoIlan Goldfajn, presidente do Banco CentralIlan Goldfajn, presidente do Banco Central

Segundo informações do G1, o presidente do BC disse ainda que as decisões sobre a taxa de juros da economia são tomadas durante as reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. O próximo encontro está marcado para o início de fevereiro e a expectativa do mercado financeiro é de um novo corte na taxa Selic, para 6,75% ao ano. "Vamos avaliar, tem mais um mês e pouquinho para decisão. E vamos ver como se desenrola a conjuntura econômica", concluiu.

Mais conteúdo sobre: