Teresina - PI

Preso com cocaína tentou comprar imóvel em Teresina usando esmeraldas

O imóvel seria utilizado como ponto de apoio da quadrilha que foi desarticulada nessa terça-feira, informou o delegado Cadena Júnior.

Brunno Suênio
Teresina
12/12/2019 06h14 - atualizado 13/12/2019 10h17

Um dos alvos da operação da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Piauí, que terminou com a apreensão de uma tonelada de cocaína e sete pessoas presas na tarde dessa terça-feira (10), em Teresina, trata-se de um piauiense identificado como João da Cruz Marques, proprietário de um garimpo no estado do Pará.

As investigações iniciadas pelo GRECO e que a partir de agora seguem sob a responsabilidade da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes – DEPRE – constaram que João da Cruz Marques tentou adquirir um sítio avaliado em R$ 1.600.000,00, na zona leste de Teresina, utilizando esmeraldas como forma de pagamento. O imóvel seria utilizado como ponto de apoio da quadrilha que foi desarticulada nessa terça-feira, conforme detalhou o delegado Cadena Júnior.

  • Foto: Divulgação/PC-PIJoão da CruzJoão da Cruz

“O principal indivíduo que estava jogando dinheiro na praça era o piauiense de São João da Serra, o João. Ele estava há 20 anos morando no estado do Pará. Ele foi arregimentado pelo dono da carga para alugar o espaço para depósito, para o recebimento de cargas e fazer a transação de alimentação e de hospedagem dos pilotos que viriam buscar uma carga. Ele relatou que era dono de um garimpo de pedras preciosas. Inclusive, ele chegou a oferecer pedras preciosas na compra de imóveis em Teresina, junto às imobiliárias. A partir desse momento que ofereceu pedras preciosas, os policiais suspeitou que ele fosse contrabandista de pedras preciosas e metais preciosos e que o Piauí poderia ser utilizado como rota. Então o Greco cercou mais esse indivíduo e que estava ao redor dele. No entanto, na quinta-feira passada chegou um carregamento com muitas caixas em um sítio na região da Cacimba Velha e os policiais do BOPE estavam fazendo esse monitoramento, viram essa movimentação e deu o start”, ressaltou o delegado Cadena Júnior.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Delegado Cadena JúniorDelegado Cadena Júnior

Diante das informações, a cúpula de Secretaria da Segurança Pública se reuniu, com a presença do GRECO, BOPE, D.O.E e DEPRE e o de secretário de segurança Fábio Abreu, onde constatou-se que em virtude da grande quantidade de caixas armazenas em quatro carros, o material não se tratava de pedras preciosas ou armas, mas de drogas.

“Havia indício que eram assaltantes de bancos, de contrabando e, no final, tráfico de entorpecentes. Passamos a monitorar todos os indivíduos e com a chegada do helicóptero, na segunda-feira à noite, o secretário determinou ao comandante da operação, o delegado Tales Gomes, deflagrar as ações para não perder nenhum alvo, as aeronaves e as caixas que, possivelmente, tinham drogas. Então ontem, às 13h, o delegado Gustavo Jung deu o start para a operação começar”, explicou.

Os primeiros alvos a caírem foram localizados em uma quitinete no bairro Acarape, na zona norte de Teresina, onde as equipes flagraram quase 100% da cocaína armazenada em dois carros, uma S10 e em um Fiat Doblô. No local, foram presos dois homens. Em sequência, foram presos outros dois homens, dentre eles o piauiense, em um restaurante localizado na zona leste de Teresina, e três pilotos das aeronaves, que estavam hospedados em um hotel na Avenida João XXIII.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Cocaína apreendida em operação Cocaína apreendida em operação

Logo após as prisões, a equipe do delegado Daniel Pires tomou conhecimento que o helicóptero estava na cidade de Timon, onde foi localizada mais uma caixa contendo cocaína.

Intermediário brasileiro

A Polícia Civil do Piauí trabalha com a hipótese que a cocaína seja oriunda da Bolívia e que o estado do Piauí serve como rota de passagem para o destino final, que seria os estados do Ceará e Bahia, onde o mercado consumidor do entorpecente é maior, em virtude da grande quantidade de cocaína apreendida, no valor estimado de R$ 25 milhões.

Para isso, as investigações devem determinar o intermediário brasileiro, que fazia o contato direto com o exterior, de onde partiu a droga. “Já houve apreensões de drogas em um dos estados que fazem fronteira com a Bolívia com os adesivos que encontramos nas embalagens, a marca PCU. Então, o intermediário vai lá na Bolívia, compra da fábrica, traz para cá e do Piauí era feita a distribuição. Segundo os depoimentos que foram colhidos, daqui ocorria a distribuição para os estados do Ceará e Bahia”, acrescentou o delegado Cadena Júnior.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Delegado mostrando a cocaína Delegado mostrando a cocaína

Aeronaves

De acordo com o delegado Cadena Júnior, ao final do inquérito, as duas aeronaves que foram apreendidas durante a operação serão alvo de perdimento com o objetivo de disponibilizá-la para a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Piauí. “O monitoramento do GRECO já viu essa questão dos carros apreendidos, eles são todos alugados e serão devolvidos. Já no caso das aeronaves, o proprietário do helicóptero afirmou que veio para o Piauí por R$ 40 mil para fazer esse frete e ao ser indagado sobre o alto valor ele relatou que somente ele fazia aquele tipo de serviço, inclusive, o André Cajé já foi preso por tráfico interestadual de drogas utilizando o mesmo helicóptero. Nós vamos pedir o perdimento desse bem à Justiça para que Secretaria de Segurança Pública destine para o Batalhão Tático de Operações Policiais – BTAP, quanto ao bimotor também será pedido para o BTAP”, finalizou.

  • Foto: Divulgação/SSP-PIUm helicóptero e uma avião de pequeno porte também foram apreendidosUm helicóptero e uma avião bimotor também foram apreendidos

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Cocaína apreendida está avaliada em R$ 25 milhões, diz Fábio Abreu

Divulgados os nomes dos presos com uma tonelada de cocaína em Teresina

Cocaína apreendida pelo GRECO seria levada para Fortaleza

Greco apreende quase uma tonelada de cocaína em Teresina