Brasil

Professora diz em aula que Bolsonaro armou assassinato de Marielle Franco

A professora afirmou ainda que Bolsonaro não foi vítima de crime político em 2018, quando foi esfaqueado por Adélio Bispo.

Thais Guimarães
Teresina
10/11/2020 19h14 - atualizado 19h29

Uma professora da escola particular COC Rio do Sul (SC), declarou, durante uma aula virtual, que o presidente Jair Bolsonaro estaria por trás do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), morta em março de 2018 no Rio de Janeiro. O vídeo que registra o momento em que a professora Tanay Gonçalves Notargiacomo acusa Bolsonaro viralizou na internet.

De acordo com a Revista Oeste, ao falar sobre violência na política, a professora afirmou que Bolsonaro não foi vítima de crime político em 2018, quando foi esfaqueado por Adélio Bispo, que segundo levantamento posterior foi filiado ao PSOL. “Bolsonaro levou uma facada? Levou. Foi uma violência? Foi. Mas não foi praticada por político”, disse a professora da escola situada no interior de Santa Catarina.

Sobre o assassinato de Marielle Franco, a professora garantiu que a vereadora foi vítima de violência política armada pelo atual presidente da República. “O que o Bolsonaro armou, né, para matar Marielle Franco… ele, sendo um político, matando uma outra política… isso, sim, é uma violência política”, disparou a funcionária do colégio.

O que diz a escola

Em nota divulgada no último domingo (08), a direção da escola informou que adotou procedimentos internos cabíveis ao caso e garantiu que o fato se tratou de um “episódio isolado. No mesmo dia, o colégio emitiu uma carta assinada pela professora Tanay Gonçalves, onde ela pede “desculpas aos ofendidos” e afirma que a frase foi retirada de contexto.