Brasil

Professores do Brasil têm remuneração abaixo da média mundial, diz OCDE

Salários reais médios dos profissionais chegam a US$ 24.765 por ano no ensino infantil; valor sobre para US$ 25.005 no ensino fundamental.

Por  Estadão Conteúdo
08/09/2020 07h13

O Brasil é um dos países cuja remuneração dos professores está abaixo da média detectada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), segundo relatório divulgado nesta terça-feira, 8. O documento mostra que as condições salariais dos professores brasileros estão entre as piores dentre os países pesquisados.

"No Brasil, os salários reais médios dos professores chegam a US$ 24.765 no ensino infantil (inferior à média da OCDE de US$ 38.677), US$ 25.005 no ensino fundamental inicial (inferior à média da OCDE de US$ 43.942), US$ 25.272 no fundamental anos finais (inferior à média da OCDE de US$ 46.225) e US$ 25.966 no ensino médio (inferior à média da OCDE de US$ 49.778)", diz o relatório, se referindo a valores anuais.

O documento explica, inclusive, que essas quantias refletem os salários reais, incluindo pagamentos adicionais relacionados ao trabalho. É um valor de média, pois o salário de um professor depende do nível de experiência e de sua qualificação profissional, de sua idade e até do lugar em que dá aulas.

Além da dificuldade de o professor brasileiro receber melhores salários, outro ponto que a pesquisa aborda é o fato de que muitos estão em vias de se aposentar e existe uma preocupação com a reposição dos quadros docentes. Isso está ocorrendo não apenas no Brasil, mas em diversos países do mundo.

"Uma grande parte dos professores em muitos países da OCDE atingirão a idade de aposentadoria na próxima década, enquanto o tamanho da população em idade escolar deverá aumentar em alguns países, colocando muitos governos sob pressão para recrutar e treinar novos professores. No Brasil, 11% dos professores do ensino fundamental são considerados jovens (com menos de 30 anos), o que é um pouco abaixo da média da OCDE, de 12%", afirma.

"Em média, nos países da OCDE, a proporção de jovens professores diminui em outros níveis de ensino, para 10% no ensino fundamental anos finais e 8% no ensino médio. No Brasil, a proporção de jovens professores permanece a mesma, por volta de 10% em ambos os casos", di o relatório.