Teresina - PI

"Quem não deve não teme", diz Wellington após Operação Itaorna

"Vamos dialogar com o Tribunal de Contas e Ministério Público, que são instituições respeitadas e não podem permitir que alguns dos seus membros pratiquem espetáculo com vida alheia", continuou.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Débora Dayllin
Teresina
12/09/2018 14h00 - atualizado 18/09/2018 22h10

O governador Wellington Dias (PT), que disputa a reeleição, fez um desabafo à imprensa na tarde desta quarta-feira (12), sobre a “Operação Itaorna”, deflagrada pelo Ministério Público do Estado do Piauí, por meio da 44ª Promotoria de Justiça de Teresina na manhã de hoje. A operação tem como o objetivo dar cumprimento a mandados de busca e apreensão para coibir a prática de fraudes em licitações em secretarias e coordenadorias estaduais.

Wellington Dias afirmou que o estado anda na legalidade, e colabora com a Justiça, e que alguns membros do Tribunal de Contas e do Ministério Público estão praticando um “espetáculo”.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Governador Wellington Dias durante palestra no Gran Hotel ArreyGovernador Wellington Dias

“Duvido que tenha alguém com mais preocupação com a corrupção, ou seja, preocupação de andar mais dentro da legalidade do que eu. Não tem. Aqui criei a Controladoria Geral do Estado que atua na prevenção. Aqui temos o Portal de Transparência que é o melhor avaliado do Brasil, nota 94. Temos aqui tudo aquilo que o Ministério Público, que a Justiça, que o TCE, que o TRE, que a Assembleia estejam requisitando, nós estamos apresentando. Se precisar saber de algum documento ou informação, estamos apresentando. Se tem uma operação que é referente a uma empresa. Lá na área de transporte escolar era em relação a empresas. Lá na SEMAR também era em relação a empresas. Aqui é em relação a uma empresa. Se a operação não é em relação ao estado, o estado então é um colaborador. Então o que eu vejo mesmo, eu vou dizer em alto e bom som, é um espetáculo”, afirmou.

Wellington informou que vai se reunir com os líderes da bancada na tarde de hoje. “É isso que eu não quero admitir, por isso estou organizando com os principais líderes que defendem a democracia no nosso estado, onde nós vamos dialogar com o Tribunal de Contas e Ministério Público, que são instituições respeitadas e não podem permitir que alguns dos seus membros pratiquem espetáculo com vida alheia, ainda mais na véspera de eleição. Qual o sentido, quando é véspera de um debate, tem uma operação. Será que é uma coincidência? Uma coisa que é de 2012 e 2013. Será que é coincidência? Essa daí é de 2016. Será que é coincidência deixar tudo para fazer em cima da eleição?”, indagou.

O candidato à reeleição ainda afirmou que parlamentares da oposição informaram que toda semana haverá operações, contudo, o governador assegurou que “não tem medo algum”.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Wellington Dias durante evento em TeresinaWellington Dias

“Me contaram, que parlamentares da oposição disseram que toda semana vai ter [operação], já outras pessoas colocaram que isso é para atingir o nosso lado. Eu não tenho medo nenhum. Quem não deve não teme. Examinei tudo que foi feito em relação a essa empresa. Foi feito dentro da legalidade, nem pagamento foi feito, foram obras que estão em andamento. O que eu quero dizer ao meu povo, que se tem alguém que tem preocupação em fazer dentro da lei, é aqui. Tenho pai e mãe, onde aprendi que o que é meu é meu, o que é dos é dos outros. Tratar o que tratei em todos os meus mandatos, com muita decência e é isso que cobra a minha dúvida”, assegurou.

Wellington Dias disse ainda que sempre colaborou com os órgãos judiciais, entretanto irá recorrer para evitar abusos. “Uma das coisas que estou vendo é o abuso de poder, em uma das áreas que entraram tinha um segurança, perguntaram se tinha uma ordem da justiça e ninguém apresentou. E usando de força, com a presença da PRF, que não tem nada a ver com isso, entraram no órgão sem apresentar a decisão judicial que autorizava e nome disso é abuso de autoridade. Nós vamos recorrer, aliás, todas as pessoas que foram colocadas em jogo nesse espetáculo, nós vamos ver isso, porque envolve instituições respeitadas e sempre colaboramos, mas pedimos respeito”.

Governo do Estado do Piauí

A assessoria de comunicação do Governo do Estado do Piauí divulgou uma nota de esclarecimento sobre a “Operação Itaorna”, afirmando que “nenhum agente público é investigado neste caso. E que o governo sempre prezou pela transparência de todos os seus atos e assegura que todos os processos licitatórios obedecem aos trâmites legais e obrigações jurídicas, tendo tramitado pela Controladoria e Procuradoria Geral do Estado”.

Operação Itaorna

O Governo do Estado do Piauí informa que a operação Itaorna, deflagrada nesta quarta-feira (12), tem por objeto constatar se a empresa investigada teria capacidade operacional ou não de realizar as obras e de se habilitar nos processos licitatórios, o que levaria à conclusão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e do Ministério Público Estadual (MPE) que poderia haver indícios de fraude nos processos licitatórios.

O Governo do Piauí sempre cumpriu com todas as diligências requisitadas, sempre entregou os documentos requeridos pelos órgãos de controle e colaborou com todas as investigações.

Nenhum agente público é investigado neste caso. É importante frisar, também, que o governo sempre prezou pela transparência de todos os seus atos e assegura que todos os processos licitatórios obedecem aos trâmites legais e obrigações jurídicas, tendo tramitado pela Controladoria e Procuradoria Geral do Estado.

Por fim, asseguramos que documentos e contratos são públicos e disponibilizados de forma permanente e rotineira para o TCE, não necessitando de ações judiciais para se ter acesso a eles.

Governo do Estado do Piauí