Piauí

Revogadas medidas protetivas impostas ao promotor Francisco de Jesus

A decisão se deu por unanimidade e em consonância com o parecer do Ministério Público do Estado do Piauí.

Wanessa Gommes
Teresina
23/09/2020 16h11 - atualizado 16h29

A 1ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí decidiu conceder habeas para revogar medidas protetivas impostas pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Piripiri contra o promotor de Justiça, Francisco de Jesus Lima. O julgamento virtual aconteceu no período de 11 a 18 de setembro. A decisão se deu por unanimidade e em consonância com o parecer do Ministério Público do Estado do Piauí.

As medidas protetivas foram concedidas depois que a ex-namorada do promotor, Cristina Santos Freitas, o acusou de violência doméstica, em junho de 2019. No entanto, o procedimento criminal foi arquivado em março deste ano, por decisão da Procuradora Geral de Justiça, Carmelina Moura, após rigorosas investigações.

Bruno Fabrício, advogado do promotor, então ingressou com habeas corpus argumentando a inexistência de crimes praticados e pedindo a revogação das medidas protetivas, o que foi acatado pelo colegiado.

  • Foto: GP1/Reprodução/FacebookPromotor Francisco de Jesus e Cristina Santos Freitas Promotor Francisco de Jesus e Cristina Santos Freitas

Nessa terça-feira (22), foi emitida comunicação da decisão ao juiz da comarca de Piripiri, que também deverá arquivar o processo de origem.

Confira abaixo a comunicação ao juiz ou clique aqui

O que diz o promotor

Procurado pelo GP1, nesta quarta-feira (23), o promotor Francisco de Jesus, preferiu não comentar a decisão, mas pediu para entrar em contato com seu advogado Bruno Fabrício, que, por sua vez, asseverou que: “sempre acreditei na inocência do meu constituinte, agora buscarei responsabilizar civil e criminalmente aqueles que, direta, ou indiretamente, buscaram macular a imagem pessoal e profissional do meu cliente”.

O que diz a ex-namorada

O GP1 tentou contato com Cristina Santos, através do seu telefone celular, no entanto sem êxito.

NOTÍCIA RELACIONADA

MP conclui que promotor Francisco de Jesus não agrediu ex-namorada