Teresina - PI

Ricardo Bandeira quer que o filho dispute vaga na Câmara de Teresina

Ricardo Bandeira afirmou que tem conversado com o filho Sérgio Bandeira, sobre a possibilidade dele concorrer à Câmara Municipal, mas que até agora os dois não entraram em um acordo sobre o assunto.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
28/08/2019 14h15 - atualizado 14h15

O vereador Ricardo Bandeira (PSL) admitiu nesta quarta-feira (28) que desistiria de concorrer à reeleição para colocar o filho Sérgio Bandeira (Podemos) para concorrer a uma vaga na Câmara Municipal de Teresina.

Ricardo Bandeira afirmou que tem conversado com o filho Sérgio Bandeira, sobre a possibilidade dele concorrer à Câmara Municipal, mas que até agora os dois não entraram em um acordo sobre o assunto.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Ricardo Bandeira Ricardo Bandeira

“O caminho natural, para os amigos, assessores e a base política, é que eu dispute o terceiro mandato. Só que eu tenho algumas coisas para resolver, eu quero revitalizar a minha empresa. Na política não se tem certeza de nada, e na minha empresa eu tenho certeza. Eu sugeri que o Sérgio seja o candidato, mas ele quer que eu concorra, e eu quero que ele concorra. Então estou nessa luta, tentando convencer ele”, explicou.

Sérgio Bandeira já fez parte dos quadros do PSL, mas agora é o vice-presidente estadual do Podemos. “Cada um está em um partido diferente. Ele foi para o Podemos, pois na época que chegou esse grupo do PSL [em 2018] foi uma confusão. Ele saiu do partido e foi para lá e está se viabilizando. De repente lá é melhor para ele disputar a eleição. Agora não tem coligação, então está cada vez mais difícil [se eleger]. Estou nessa luta para convencer ele”, afirmou o parlamentar.

Ele ainda destacou sua atuação como vereador. “Eu vim para a Câmara Municipal em 2013, fui eleito em 2012, fiquei aqui nos 4 anos, fiz mais de 100 projetos, 36 leis sancionadas e 100% de frequência. Não faltei nenhum dia de trabalho. Esse é o meu perfil. Pouca gente sabe disso, mas na história da Câmara, não sei se tem outro vereador assim. Eu fui reeleito em 2016 com quase o dobro de votos e fui convidado pelo prefeito para a Secretaria de Economia Solidária, onde fiquei dois anos e 8 meses”, pontuou o vereador.

Saída do PSL

Ricardo Bandeira é um aliado do prefeito Firmino Filho (PSDB), e a possibilidade do PSL lançar uma pré-candidatura à prefeitura de Teresina, poderia fazer o vereador sair da legenda. Ricardo explicou que no momento não tem pensado em sair do partido.

“Comecei no PSL em 2016, preparando para disputar eleição naquela época. Montamos uma chapa competitiva e elegemos dois vereadores. Em 2018 teve a vinda do Bolsonaro. Eu fui eleito pelo PSL e continuo no partido, sem nenhum desejo de mudança. Participei da escolha do presidente Luís André e estou gostando da gestão dele. Estamos sempre reunindo o grupo”, destacou.