Teresina - PI

Secretário Kleber Montezuma participa de audiência pública na Câmara

A audiência foi para discutir a aplicação de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

Andressa Martins
Teresina
Germana Chaves
Teresina
19/06/2019 14h49 - atualizado 14h50

O secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma, participou na manhã desta quarta-feira (19) de uma audiência pública na Câmara Municipal de Teresina para discutir a aplicação de recursos do antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

De acordo com o secretário, o convite foi feito para falar dos “recursos do precatório que a Prefeitura de Teresina recebeu em 2016 da área da Educação”. O valor, ainda segundo Montezuma, foi de R$ 220 milhões.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Kleber MontezumaKleber Montezuma

“Todos os pagamentos que foram feitos ocorreram dentro do âmbito da Educação, processos relativos ao que se fez no âmbito da Educação. Nós vamos agora mostrar para a Câmara de Vereadores que aquilo que a Câmara aprovou, nós obedecemos”, afirmou.

O secretário disse ainda que está tranquilo para o julgamento das contas pelo Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE). “Quem julga as contas é o Tribunal de Contas do Estado, que ainda não as julgou, estamos esperando tranquilamente que julgue o pagamento e nós estamos tranquilos em relação a isso”, finalizou.

O presidente da Fundação Municipal da Saúde, Charles da Silveira, que também participou da audiência, disse que trabalha com “lisura” e que as pessoas ficam “atacando a honra” do secretário.

“As pessoas ficam sacando contra a honra do secretário Kleber Montezuma. Essa audiência é importante para saber como funciona, como são utilizados os recursos do Fundef e de que forma a prefeitura atua. Estamos à disposição dos órgãos de controle, somos auditados e temos a convicção que trabalhamos com seriedade, cumprindo a lei”, afirmou.

NOTÍCIA RELACIONADA

Kleber Montezuma contrata empresa de Goiânia sem licitação

Procurador aponta rombo de R$ 20 milhões na gestão de Kléber Montezuma