Economia e Negócios

Temer sanciona lei para transferir R$ 15 bilhões do FGTS à Caixa

O repasse depende do aval do conselho que administra o fundo. Segundo o relator, a medida faria com que a Caixa aumente os empréstimos para saneamento, habitação e infraestrutura.

Andressa Martins
Teresina
04/01/2018 17h22 - atualizado 05/01/2018 12h30

Nesta quinta-feira (4) o presidente Michel Temer sancionou a lei que autoriza a capitalização da Caixa Econômica Federal com recursos do FGTS. É preciso que haja autorização do Conselho Curador do fundo, mas a capitalização será de até R$ 15 bilhões.

A lei pretende adequar a Caixa às novas regras do Conselho Monetário Nacional em relação ao índice de liquidez dos bancos. É necessário que o banco mantenha a mesma média de empréstimos e caso isso não ocorra, terá de emprestar mesmo para ficar dentro do limite regulado.

  • Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão ConteúdoMichel TemerMichel Temer

O FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) simboliza uma poupança para o trabalhador, que deposita 8% do salário e pode sacar o dinheiro caso seja demitido sem justa causa, se aposentar, contrair doença grave ou comprar um imóvel.

O autor do projeto, deputado Fernando Monteiro (PP-PE), acredita que a medida permita que a Caixa aumente os empréstimos para saneamento, habitação e infraestrutura.