Teresina - PI

Teresa Britto pede esclarecimento a Wellington sobre Operação Satélites

"Nós queremos que isso seja passado a limpo e que ele [Wellington Dias] se explique, ele tem que esclarecer isso”, cobrou Britto.

Germana Chaves
Teresina
25/09/2019 15h27 - atualizado 15h33

A deputada estadual Teresa Britto (PV) cobrou explicações do governador Wellington Dias (PT-PI) sobre a “Operação Satélites”, deflagrada pela Polícia Federal nesta quarta-feira (25), para cumprimento de mandados de busca e apreensão no Palácio de Karnak, nas secretarias estaduais de Educação e de Infraestrutura, bem como na empresa LC Veículos.

De acordo com a PF, foram desviados cerca de R$ 50 milhões em apenas dois contratos entre a Seduc e as empresas que prestam serviços de transporte escolar.

“Estamos vendo alunos fora da escola, que perderam o ano porque não têm transporte escolar devido a esse desvio absurdo que aconteceu no Piauí. Nós queremos que isso seja passado a limpo e que ele [Wellington Dias] se explique, ele tem que esclarecer isso”, cobrou Britto.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Teresa BrittoTeresa Britto

A deputada estadual também destacou a necessidade de devolver aos cofres públicos os valores desviados da educação. “Que esses recursos roubados da educação sejam devolvidos para os cofres públicos e para educação. Hoje estamos vendo os alunos limpado a Universidade Estadual porque os terceirizados estão há quatro meses com salários atrasados. A educação sem transporte. Queremos que o Piauí volte a ter credibilidade”, clamou Teresa Britto.

Operação Satélites

Segundo a Polícia Federal, a operação tem como objetivo a investigação dos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e crimes de licitação praticados por gestores públicos da Secretaria de Educação do Estado do Piauí (Seduc) e por empresários contratados para prestação de serviço de transporte escolar. Estima-se que pelo menos R$ 50 milhões foram desviados.

São 19 mandados de busca e apreensão em Teresina e Luís Correia. Na capital foram cumpridos mandados no Palácio de Karnak, na Secretaria da Infraestrutura, na Secretaria de Educação e na LC Veículos.

Topique

A operação prendeu em agosto de 2018 dois funcionários da Seduc e 23 empresários que são acusados de fraudarem licitações e de desviarem recursos públicos destinados à prestação de serviços de transporte escolar ao Governo do Estado e Prefeituras Municipais no Piauí e no Maranhão, custeados pelos recursos do Programa de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB). A operação foi realizada em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU) no Piauí.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Polícia Federal cumpre mandados no Palácio de Karnak

Governo do Piauí critica operação e diz que houve 'abuso de autoridade'

Operação Satélites: PF apreende documentos na sede da Seinfra