Teresina - PI

Themístocles Filho chama Firmino Filho de ditador e traidor

“O que ele tem de pequeno, ele tem de ditador. Ditador, pequeno e traidor. Ele pensa que tem sangue azul", disparou Themístocles.

Germana Chaves
Teresina
21/11/2017 10h11 - atualizado 11h04

O presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, deputado Themístocles Filho abriu o verbo e fez um verdadeiro desabafo acerca da atitude do prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB), que exonerou lideranças do PMDB que ocupavam cargos na administração municipal. O motivo? Um revide aos peemedebistas ao apoio do vereador Zé Nito na eleição que escolheu a nova Mesa Diretora da Câmara, antecipada em um ano.

Themístocles chegou a chamar Firmino de ditador, pequeno e traidor. Ele garantiu que se arrependeu de ter apoiado o tucano ao invés do deputado estadual Dr. Pessoa (PSD), que foi candidato ao Executivo teresinense no pleito de 2016.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Themístocles FilhoThemístocles Filho

“O que ele tem de pequeno, ele tem de ditador. Ditador, pequeno e traidor. Ele pensa que tem sangue azul. Dr. Pessoa que arrependimento que eu tenho de não ter votado em você para prefeito. O Dr. Pessoa não ganhou por uma diferença de apenas 5 mil votos. Prefeito você foi eleito com os votos do Zé Nito, cada eleitor que votou no Zé Nito se não vota em você, você não era prefeito da Capital. O James, bastava os amigos do James também não votarem em Firmino que ele não era prefeito da Capital”, disparou Themístocles duirante entrevista à TV Meio Norte nesta terça-feira (21).

Firmino não tem palavra

O presidente da Assembleia não parou por aí e afirmou que Firmino Filho não cumpre com os acordos firmados, inclusive, assegurou que é zero a possibilidade de o tucano ser candidato ao Governo nas eleições de 2018. “Acordo político é zero porque ele não cumpre nenhum. Ele cumpre acordo para mandar nas pessoas. Zero! Ele tinha todas as possiblidades no tempo de Mão Santa [de ser candidato ao Palácio de Karnak]”, disse o peemedebista.

Themístocles também afirmou que Firmino Filho foi o culpado pela derrota de Hugo Napoleão no confronto com Wellington Dias (PT) no pleito de 2002. “Quem derrotou o Hugo Napoleão foi o Firmino. O povo de Teresina se revoltou, vaiava ele nos comícios. O Wellington se elegeu governador. No passado com Mão Santa, ele traiu o Mão Santa e o povo do Piauí pintou a cara, saiu de Mão Santa carregando cartaz, aquela coisa toda. Wellington sai candidato e vence as eleições no primeiro turno. Histórico de traição e de tratar mal as pessoas, de não respeitar as pessoas”, desabafou.

Barrado no Palácio da Cidade

Themístocles Filho ainda revelou que foi proibido por Firmino de frequentar a Prefeitura depois de um aviso enviado pelo prefeito através do deputado estadual peemedebista, João Mádison Nogueira. “Sabe o que ele fez? Eu fui visitar um secretário dele e o cidadão liga para o João Mádison dizendo pra eu não ir para a Prefeitura. Ele não me quer lá. Ele estava planejando isso aí, no meu entender. Só que não contava com essa derrota para o Jeová”, colocou o comandante do legislativo estadual.

Proposta indecorosa

Sem papas na língua e disposto a pôr tudo em pratos limpos, Themístocles descortinou, segundo ele, uma proposta no mínimo indecorosa feita por Firmino Filho que seria a troca de votos.

“Olha o que ele foi fazer na minha casa, primeiro na Assembleia Legislativa, o PSDB foi no dia da eleição da Assembleia, trabalhar dois votos do PSDB, que não votaram em mim, para me derrotar. O que aconteceu depois? Eu não passei recibo. Fui lá conversar com eles, no Palácio da Cidade, depois conversar com Wellington Dias e tudo. Nessa eleição agora, que não está nem com um ano que passou com o PMDB coliga com A, coliga com Dr. Pessoa, o homem [Firmino Filho] foi na minha casa várias vezes, ele foi na minha casa e eu também com deputados estaduais eu estive na Casa do prefeito. Aí ele ‘disse deputado eu vou votar em você para presidente da Assembleia agora, mas deixe esse negócio de vice de lado’. Eu disse não! Para o PMDB não indicar o vice-prefeito dele que o PSDB na Assembleia votava em mim. Essa é uma proposta no mínimo indecorosa. (...) Se você quiser votar, os deputados está tudo certo. Agora trocar os votos na Assembleia para o PMDB não indicar o vice, de jeito nenhum. No dia seguinte, o senador Ciro Nogueira vai em minha casa: ‘Deputado pode indicar o vice do Firmino’? Eu disse, Ciro não é problema.”

Luiz Júnior, Zé Nito e PF

Themístocles Filho também negou a interferência do vice-prefeito de Teresina Luiz Júnior, na eleição que antecipou a escolha da nova Mesa Diretora da Câmara, Pleito que assegurou mais dois anos ao vereador Jeová Alencar como presidente do legislativo municipal.

“Qual vereador que é ligado ao Júnior? Ele [Firmino Filho] trata mal, pode até a partir de hoje ele dar um bombom para Júnior. Olha só que audácia, o prefeito liga [para Themístocles] e diz para o Zé Nito não votar não, sair da Câmara, não dar quórum”, disse o presidente da Alepi que desafiou autorizar a quebra de seu sigilo telefônico para comprovar o pedido do prefeito feito a ele. “Manda a Polícia Federal abrir meu telefone. Eu dou para a Polícia Federal abrir meu telefone e ver a ligação dele.”

Veja abaixo a entrevista na íntegra