Teresina - PI

Vereador Dudu rebate críticas do correligionário Júnior do MP3

“O Júnior é uma grande liderança, reconhecida no mundo todo, mas infelizmente o povo ainda não o aceitou, por exemplo, como parlamentar. Ele já tentou muita eleição", disse Dudu.

Germana Chaves
Teresina
22/12/2017 19h08 - atualizado 19h09

O vereador de Teresina, Dudu Borges (PT) rebateu as críticas do ativista do PT, Júnior do MP3, que o acusou de querer boicotar a pré-candidatura à reeleição da senadora Regina Sousa (PT), ao defender o nome do presidente da APPM, Gil Carlos, para o mesmo cargo. O ativista ainda afirmou que Dudu estaria atrapalhando a unidade do grupo.

Em resposta, o vereador disse que Júnior nunca teve aceitação popular com base no insucesso das eleições em que ele já disputou. Dudu colocou ainda que o companheiro de partido não estava apto a falar em unidade partidária, uma vez que, nas eleições de 2016, foi o primeiro a não apoiar a candidatura do jornalista Amadeu Campos, à época, aliado do PT, para a Prefeitura de Teresina.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Vereador DuduVereador Dudu

“O Júnior é uma grande liderança, reconhecida no mundo todo, mas, infelizmente, o povo ainda não o aceitou, por exemplo, como parlamentar. Ele já tentou muita eleição. Respeito ele, mas não concordo. Que ele continue lá, trabalhando no movimento onde ele se diz líder. O Júnior tem todo direito de se manifestar, agora, quem conhece o Júnior sou eu, que convivo com ele há muito tempo no PT. Falar de unidade, quando o partido tinha uma candidatura a prefeito em 2016, que foi o Amadeu Campos, e ele cismou por uma questão pessoal de ir contra a isso”, relembrou Dudu.

Quanto a afirmação de Júnior do MP3, de que ao defender Gil Carlos como candidato ao Senado Federal estaria agindo a serviço de terceiros, o vereador também reagiu: “Eu trabalho a serviço do povo, eu não sei a quem é que ele trabalha. O povo de Teresina me conhece, tanto é que fui reeleito, enquanto ele nem coragem teve de ser candidato. Agora o Júnior todo mundo conhece. É o tipo de ação e de fato criado, que às vezes você precisa brigar com o espelho para aparecer, o que não é o meu caso. Vou continuar trabalhando, inclusive, para manter o PT forte. O PT tem que estar com a reeleição do governador Wellington Dias na ponta, tem que estar com a reeleição do [ex] presidente Lula”, finalizou.

Mais conteúdo sobre: