Política

Wellington Dias afirma que empréstimos vão ajudar a gerar empregos

"A expectativa é de R$ 18 a R$ 20 bilhões de investimentos [até 2022]. O objetivo é fazer um aquecimento na economia", declarou o governador.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
12/09/2019 13h23 - atualizado 13h37

O governador Wellington Dias (PT) afirmou nesta quinta-feira (12) que os empréstimos que somam o valor de mais de R$ 2 bilhões vão ajudar a economia do Estado do Piauí, pois as obras que serão realizadas com os recursos vão gerar empregos e rendas.

Wellington Dias disse acreditar que o Estado poderá receber até o ano de 2022 cerca de R$ 20 bilhões de investimentos da iniciativa privada devido a essas obras que vão ajudar a melhorar a infraestrutura.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Governador Wellington Dias Governador Wellington Dias

“O objetivo é que possamos entre 2019 e 2022, alcançar algo como R$ 6 a R$ 7 bilhões de investimentos, isso de ano a ano, integrando essas áreas de governo. Fazendo dessa forma estamos atraindo recursos da iniciativa privada. A expectativa é de R$ 18 a R$ 20 bilhões de investimentos [até 2022]. O objetivo é fazer um aquecimento na economia. O comércio e a construção civil são as áreas mais atingidas. Ao trabalhar um pacote de obras, com investimentos na educação, segurança, em rodovias, sistema de água, ao trabalhar ao mesmo tempo em todas essas áreas, estamos colocando a geração de emprego e renda na área mais afetada, que é a da construção civil”, explicou.

Mesmo recebendo críticas sobre a realização dos empréstimos, o chefe do poder executivo estadual disse acreditar que essa é a melhor alternativa para fazer investimentos, gerar empregos e melhorar a economia. Wellington Dias afirmou que o Estado não será prejudicado com empréstimos.

“Eu acredito muito no que estamos trabalhando. O estado possui um dos menores endividamentos do Brasil e vai prosseguir assim. Devemos fechar esse ano, sem esse contrato, com algo em torno de 47% da receita em total de dívida, veja que fechamos o ano passado em 50%, então esse ano vamos ter reduzido. Ao fazer isso vamos ter a economia crescendo e a dívida vai decrescer. Vamos chegar em 2022 com uma dívida ainda menor", destacou.

Votação na Alepi

Os pedidos de empréstimos estão na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) onde serão analisados nas comissões técnicas, antes de seguirem para votação no plenário. Wellington Dias tem o apoio da maioria dos deputados, já que apenas três fazem oposição.

Diante dessa situação, o governador afirmou que vai “respeitar a oposição, ouvir quem tiver a proposta melhor. O lado importante é que temos uma situação, onde após a aprovação, temos condição de ter uma aprovação prévia do contrato e já vamos poder lançar as licitações. O objetivo é trabalhar com a perspectiva de autorizar obras”.

Os empréstimos

Os quatro projetos de lei são referentes a um empréstimo de R$ 1,5 bilhão; um empréstimo de até U$ 115 milhões de dólares, que com base na unidade do valor do dólar nessa quinta-feira, que está em U$ 4,12, fica um valor de R$ 417,8 milhões (esse valor pode aumentar ou diminuir, de acordo com a cotação do dólar); também tem uma outra operação de crédito em R$ 100 milhões e por fim uma operação de crédito que se trata de uma restruturação de uma dívida de R$ 1,2 bilhão, onde o governo busca conseguir trocar ela por outra de mesmo valor, mas pagando uma taxa de juros menor e aumentando o prazo de pagamento.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Estado do Piauí tem aval da União para contrair empréstimos

Governo encaminha para Alepi pedido para empréstimo de R$ 2 bilhões

Marden Menezes diz que governo faz empréstimos sem cortar gastos

Mais conteúdo sobre: