Coronavírus no Piauí

Wellington Dias avalia propagação da covid-19 para reabertura do comércio

A avaliação é realizada levando em consideração a situação de cada uma das oito regiões assistenciais do estado, classificadas de acordo com a capacidade de atendimento de saúde.

Davi Fernandes
Teresina
19/06/2020 19h51 - atualizado 20h13

O governador Wellington Dias (PT-PI) se reuniu, nesta sexta-feira (19), por meio de videoconferência, com o comitê técnico do Pacto de Retomada Organizada das Atividades Econômicas (Pro Piauí) a fim de avaliar o risco epidemiológico por Covid-19 nas regiões do estado e destacou que os municípios que não estão realizando testagem prejudicam a avaliação da doença.

“Um município que não alcançou pelo menos 2% de testagem, vai ser sempre considerado de alto risco. Repassamos exames para que façam, no mínimo, 2% de testagem. Essa foi a orientação e há alguns municípios, que aparecem ainda hoje com zero casos confirmados, que não fizeram os exames e isso torna uma zona desconhecida. Por isso, não iremos mais esperar pelos municípios, nós iremos lá fazer, por meio do Programa Busca Ativa”, frisou o chefe do executivo estadual.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Wellington DiasWellington Dias

Essa avaliação é atualizada sempre às segundas-feiras pelo comitê, analisando o índice de propagação da doença e a capacidade de atendimento na rede hospitalar, assim, à medida que aumenta a propagação e diminui a capacidade de atendimento, o risco de colapso aumenta. Esses parâmetros influenciam na tomada de decisão de flexibilização das atividades econômicas.

A avaliação é realizada levando em consideração a situação de cada uma das oito regiões assistenciais do estado, classificadas de acordo com a capacidade de atendimento de saúde.

Fazendo um comparativo do dia 8 de junho para o dia 15 de junho, as regiões de Parnaíba, Piripiri, Teresina e Bom Jesus, continuam apresentando um risco epidemiológico alto. Já as regiões de são Raimundo Nonato, Floriano e Oeiras, que possuíam risco médio ou médio-baixo, no dia 15 apresentou risco baixo. A região de Picos permanece com risco médio.

Segundo a última pesquisa realizada pelo Instituto Amostragem, a taxa de transmissibilidade aumentou de 0,9 para 1,3 no Piauí, o que foi determinante para conter a flexibilização. “Tivemos um aumento na transmissibilidade, por isso decidimos não dar mais nenhum passo para frente na flexibilização, não liberando mais nenhum setor, por enquanto”, pontuou Dias.

“O que vai acontecer daqui para frente: calculamos que se tivermos um nível de eficiência no isolamento social, ampliação de leitos, na Busca Ativa, nas barreiras, etc., teremos um determinado nível de propagação do vírus, mas se extrapolar, entramos em colapso. Por exemplo, teremos que ampliar mais leitos em Piripiri, mas se não seguirem as orientações e as medidas necessárias, não vai adiantar a ampliação dos leitos”, destacou o governador.

Boletim epidemiológico

Dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi), divulgados na noite desta quinta-feira (18), apontam que subiu de 12.099 para 12.567 o número de casos confirmados de coronavírus (covid-19) no Piauí. O número de mortes também subiu, passando de 421 para 435. Foram 468 novos casos e 14 novas mortes registradas em 24 horas.

Em todo o Piauí há ainda 781 pessoas curadas da doença. Outros 66.836 casos suspeitos foram descartados após a realização de exames.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mais de 11 mil pessoas já estão curadas da covid-19 no Piauí

Piauí chega a 12.567 casos confirmados e 435 mortes por covid-19