Piauí

Wellington Dias reúne comitê Pro Piauí e avalia decretar lockdown

Apesar de não haver uma posição oficial do Governo, não é a descartada a possibilidade de adotar lockdown em virtude do aumento considerável de casos da doença.

Andressa Martins
Teresina
Germana Chaves
Teresina
19/06/2020 11h53 - atualizado 12h14

O governador Wellington Dias (PT) está reunido, na manhã desta sexta-feira (19), com o Comitê Pro Piauí, entidade que coordena o programa Pacto de Retomada Organizada das Atividades Econômicas – Pro Piauí. Conforme o coordenador de Comunicação do Governo do Piauí, Allisson Bacelar, no encontro estão sendo feitas as atualizações dos dados da covid-19 no Estado, bem como discutidas a elaboração de novos protocolos de cooperação entre os setores [autorizados a reabrir].

Os resultados dessas reuniões realizadas pelo governador servirão como base para decidir sobre o destino do decreto de isolamento social que encerra na próxima segunda-feira (22). Apesar de não haver uma posição oficial do Governo, não é a descartada a possibilidade de adotar lockdown em virtude do aumento considerável de casos de covid-19, bem como do número de óbitos ocasionados pela doença.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Governador Wellington Dias  Governador Wellington Dias

Para autorizar o retorno das atividades comerciais o estado, o governador vai levar em conta o índice de transmissibilidade, taxa de mortalidade e a taxa de ocupação de leitos de UTI.

Boletim epidemiológico

Dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi), divulgados na noite desta quinta-feira (18), apontam que subiu de 12.099 para 12.567 o número de casos confirmados de coronavírus (covid-19) no Piauí. O número de mortes também subiu, passando de 421 para 435. Foram 468 novos casos e 14 novas mortes registradas em 24 horas.

Em todo o Piauí há ainda 781 pessoas curadas da doença. Outros 66.836 casos suspeitos foram descartados após a realização de exames.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mais de 11 mil pessoas já estão curadas da covid-19 no Piauí

Piauí chega a 12.567 casos confirmados e 435 mortes por covid-19