Teresina - PI

Permissionários denunciam abandono de Mercado do Vale do Gavião

Os permissionários alegaram que as vendas estão prejudicadas devido a falta de estrutura.

Laura Moura
Teresina
22/12/2017 15h29 - atualizado 15/01/2018 11h35

Permissionários denunciaram ao GP1 o abandono do Mercado Municipal do Vale do Gavião, que até o momento não possui nome. O local fica no entorno de um terreno baldio, em frente ao Residencial Sigefredo Pacheco na zona leste da capital. Além disso, a rua que dá acesso ao mercado não é pavimentada, e o acesso ao local é prejudicado.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Matagal próximo ao mercado Matagal próximo ao mercado

O GP1 conversou com uma das permissionárias que trabalha no mercado, e que relatou que as vendas estão prejudicadas devido as condições do local. “As nossas vendas são poucas devido a localidade do mercado e da falta de estrutura do mercado. Aqui não tem estacionamento, não tem segurança, não tem nada. Fizeram apenas um galpão e nos jogaram aqui dentro. Por isso, existem muitos permissionários que não estão trabalhando por conta desta situação”, revelou Valéria Siqueira, vendedora de frangos no Mercado Municipal.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Valeria Siqueira Valeria Siqueira

A permissionária Valéria também informou que a Prefeitura de Teresina se posicionou sobre o fato, mas até o momento não houve resultados. “A Prefeitura de Teresina alega que que já foi feita a licitação para a continuidade das obras no Mercado Municipal. Só que eu estou aqui a um ano e até o momento nada foi feito”, destacou.

Outro lado

Procurado pelo GP1, o gerente de serviços urbanos, Renato Lopes, informou o motivo pelo qual o mercado foi construído no local. “A escolha foi feita com um sorteio envolvendo os moradores e representantes das comunidades próxima ocorridas em uma audiência pública. O local foi escolhido devido ao residencial Sigefredo Pacheco III, em que quando for totalmente ocupado, terá cerca de 500 famílias. Então, no final do ano de 2016, foi feito o sorteio dos permissionários para trabalharem no local. Porém, 30 a 40% deles não se efetivaram no local e nós os questionamos”, afirmou.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Mercado abandonado Mercado abandonado

Sobre o terreno baldio, o gerente também relatou que as limpezas são feitas a cada 90 dias. “Nós iremos realizar a limpeza externa entorno do mercado na próxima semana. A situação se agravou no local devido as chuvas que aconteceram nos últimos dias. Além disso, já existe o projeto para o calçamento da rua, do estacionamento do mercado e da escolha do nome”, finalizou.

Mais conteúdo sobre: