Política

Reforma da Previdência é aprovada em dois turnos na Alepi

A votação ocorreu no final da tarde desta quarta-feira (11), depois de um intenso embate que perdurou quase duas semanas entre a base governista e membros da oposição.

Brunno Suênio
Teresina
Fábio Wellington
Teresina
Davi Fernandes
Teresina
11/12/2019 17h56 - atualizado 19h29

Reforma da Previdência é aprovada em 2 turnos na Alepi

A PEC 03/2019, que trata da Reforma da Previdência estadual encaminhada pelo Governo do Estado para a Assembleia Legislativa do Piauí, foi aprovada em dois turnos no plenário da Alepi no final da tarde desta quarta-feira (11), depois de um intenso embate que perdurou quase duas semanas entre a base governista, membros da oposição e várias representatividades de classes.

Com 24 votos a favor e 4 contra, o texto da reforma passou no primeiro turno no plenário. Antes de ir ao plenário, as discussões na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) sobre a PEC 03/2019 (Proposta de Emenda Constitucional) da reforma da Previdência estadual seguiram a portas fechadas na tarde de hoje. Não estiveram presentes os deputados Pablo Santos, que faltou à sessão, e Fernando Monteiro, que está de licença médica.

O presidente estadual do Progressistas, deputado Júlio Arcorverde, também presidente da CCJ, já tinha assegurado que a reforma seria votada ainda hoje no Plenário da Alepi.

Oposição

Os quatro votos contra a reforma foram dos deputados da oposição Gustavo Neiva (PSD), Teresa Britto (PV), Lucy Soares (PP) e Marden Menezes (PSDB). Segundo Gustavo Neiva, o Governo não aceitou as propostas para que a reforma a nível estadual se igualasse a nível nacional. “Nós não podemos aceitar esse pacote de maldades que atinge mais os que ganham menos, nós apresentamos uma emenda para pelo menos igualar com a reforma de nível nacional, mas o governo não aceitou”, disse Neiva.

O deputado Marden Menezes (PSDB), também criticou que a reforma foi aprovada sem diálogos. “ Os mesmos que contestaram a reforma a nível nacional, impõem sem diálogo, com toda a pressa, uma reforma mais severa, mais gravosa para o servidor público piauiense”, afirmou.

Policiais militares de fora

Segundo o deputado estadual Coronel Carlos Augusto, a reforma da previdência dos policiais militares vai seguir de acordo com o que foi aprovado em nível nacional pelo Congresso e aguarda a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

“Debatemos que os policiais militares não entraram na reforma, pois já tem uma matéria que transitou no Congresso Nacional e que já foi aprovada, somente aguardando a sanção do presidente, que trata da aposentadoria e da previdência dos militares”, ressaltou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

PEC da Reforma da Previdência é aprovada na CCJ da Alepi

Governo do Piauí não é obrigado a fazer reforma, diz presidente de sindicato

Reforma vai gerar economia de R$ 150 milhões ao ano, diz Ricardo Pontes

Mais conteúdo sobre: