Jardim do Mulato - PI

Vereador Diego nega que tenha efetuado disparos em Jardim do Mulato

Segundo o parlamentar, o prefeito Airton Veloso ordenou que seu motorista registrasse um Boletim de Ocorrência sobre circunstâncias que não ocorreram.

Brunno Suênio
Teresina
12/11/2020 20h23 - atualizado 20h44

O vereador Bruno José Alves Rodrigues Mota, mais conhecido como Diego (MDB), do município de Jardim do Mulato, concedeu entrevista ao GP1 na tarde desta quinta-feira (12), e negou que tenha efetuado disparos de arma de fogo em via pública.

Na manhã do último domingo (08), o prefeito Airton Veloso relatou à reportagem que havia sido perseguido pelo vereador Diego e que na ocasião o parlamentar, que também é policial civil do estado de Pernambuco, teria sacado sua arma de fogo e efetuado tiros contra seu grupo político.

De acordo com o vereador Diego, o prefeito mentiu ao GP1 ao afirmar que havia prestado B.O. na delegacia. Segundo o parlamentar, o chefe do executivo ordenou que seu motorista, Claerton Nunes da Costa, registrasse um Boletim de Ocorrência sobre circunstâncias que não ocorreram.

  • Foto: ReproduçãoVereador Diego e prefeito Airton VelosoVereador Diego e prefeito Airton Veloso

“Claerton Nunes da Costa é funcionário da prefeitura, contratado pelo prefeito, ele tem um contrato com a prefeitura, de motorista. Ele afirma que eu estava com uma pistola em punho, sempre apontando em direção ao grupo político que estava em passeata, não foi provado isso, eu tenho testemunhas. Tudo que o prefeito falou não confere com a verdade, porque não teve nada com ele, o seu Claerton é quem foi lá, o prefeito não está nem nomeando o B.O. na ocorrência. Não tem o prefeito nem como envolvido no B.O”, enfatizou.

O vereador alega que sequer houve evento político, uma vez que a cidade está sob decreto de proibição de aglomeração, devido à pandemia da covid-19. “A meia-noite essa passeata? Não tinha passeata em Jardim do Mulato, até porque nós estávamos em decreto municipal, onde era proibido fazer aglomeração em passeata política. Para você ver como a história não tem sentido”, afirmou.

O parlamentar disse ainda que chegou a ser conduzido até a delegacia de Água Branca, onde assinou um termo de compromisso, segundo ele, apenas por estar fiscalizando as ações do prefeito, e não por ter atirado em via pública.

“Eu sou vereador do município e assumi o papel de fiscalizar o prefeito, e fiscalizando o prefeito eu faço denúncias contra a administração para o povo. Resumindo, eu não disparei nada, só assinei um termo de compromisso, ninguém ficou preso. Ele [Claerton] foi embora zangado, porque ele queria que eu ficasse preso. Quer dizer que esse prefeito pegou tiro, foi perseguido, sofreu nas mãos desse vereador e não foi na delegacia? Não fez B.O? A história é mentira, o prefeito colocou um funcionário dele para ir para a delegacia mentir e na imprensa ele [prefeito] mentiu”, colocou.

Por fim, Diego ratificou que a confusão foi gerada em função do momento político pelo qual o município atravessa, uma vez que ele faz oposição ao atual prefeito. “O prefeito vai perder a eleição e está desesperado, inventando fake news, mandando fazer B.O. contra o vereador. O prefeito não quer ninguém no pé dele, cobrando, quer deixar tudo à vontade para a população não ver a realidade do município”, finalizou.

NOTÍCIA RELACIONADA

Vereador é conduzido a delegacia suspeito de realizar disparos em Jardim do Mulato

Mais conteúdo sobre: