Teresina - PI

Rompimento com Wellington serve para testar PP para 2022, diz Arcoverde

"Serve até para mostrar se estamos preparados ou não para governar o estado em 2022, se nosso grupo está unido ou não", afirmou o progressista.

Andressa Martins
Teresina
Germana Chaves
Teresina
06/08/2020 15h54 - atualizado 16h50

Após o governador Wellington Dias (PT) anunciar rompimento com o senador Ciro Nogueira (Progressistas), o deputado estadual Júlio Arcoverde disse que a decisão serve para “testar” a sigla para a disputa pelo Governo do Estado em 2022.

Ciro deve ser candidato ao Governo e tem tecido críticas à gestão petista, estando inclusive cada vez mais próximo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ao ser questionado se o governador estaria desprestigiando o Progressistas, já que a sigla é aliada de primeira hora de Wellington, Arcoverde disse que o rompimento servirá como termômetro para saber se o grupo permanece unido para o pleito de 2022.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Deputado Júlio ArcoverdeDeputado Júlio Arcoverde

“Não [é desmerecimento]. Acho que isso são fatos que acontecem na política e vão acontecer mais ainda. Serve até para mostrar se estamos preparados ou não para governar o estado em 2022, se nosso grupo está unido ou não. Isso é um teste. A vida está nos dando oportunidade de fazer esse teste em relação a partido, porque hoje nosso partido cresceu muito, temos mais de 90 prefeitos, três deputados federais, 7 deputados estaduais”, declarou.

Após reunião entre o governador Wellington Dias e o deputado Júlio Arcoverde, a bancada do PP na Alepi vai decidir se permanece no Governo ou se segue o caminho do senador Ciro Nogueira.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Bancada do PP vai decidir se fica no governo após reunião com Wellington

Júlio Arcoverde sobre ruptura com governo: "se sair, sairão todos os deputados"

Ciro Nogueira rebate Wellington e diz que soube de rompimento pela imprensa