Coronavírus no Piauí

Covid-19: Danilo Damásio diz que demitiu 59 funcionários do Metropolitan

"Infelizmente eu já demiti mais de 100 pessoas no meu grupo. No nosso hotel, Metropolitan, por exemplo, eu comecei a pandemia com 89 funcionários e agora tenho 30", relatou o empresário.

Nayrana Meireles
Teresina
Thais Guimarães
Teresina
26/05/2020 21h29 - atualizado 22h26

O empresário Danilo Damásio fez um desabafo em entrevista ao GP1 na tarde desta terça-feira (26). Ele disse que devido a pandemia do novo coronavírus (covid-19) já demitiu mais de 100 funcionários de seu grupo, sendo 59 apenas do Metropolitan Hotel. O empresário criticou ainda a falta de planejamento da Prefeitura de Teresina e do Governo do Estado para a retomada as atividades comerciais.

"Infelizmente eu já demiti mais de 100 pessoas no meu grupo. No nosso hotel, Metropolitan, por exemplo, eu comecei a pandemia com 89 funcionários e agora tenho 30. Já demiti 59 funcionários porque embora a hotelaria possa funcionar, como é que vai funcionar se está tudo parado? Eu fechei em março para voltar no final de abril, resolvi que em maio não voltava, em junho também não vai voltar, não sei se retorna em julho. Eu já perguntei ao prefeito quando vai voltar porque eu tenho que saber se eu suspendo meus funcionários, se eu dou férias coletivas e nunca me disseram nada", lamentou o empresário.

  • Foto: Facebook / Danilo DamásioEmpresário Danilo DamásioEmpresário Danilo Damásio

Para o empresário, o tempo que o estado passou em quarentena foi suficiente e já está na hora de retomar as atividades econômicas. "A gente acredita que 70 dias [em quarentena] são mais que suficientes, porque as empresas e o emprego não podem viver de espera, a gente vive é de planejamento, de ação, então a gente acredita que a quarentena foi necessária, mas não pode ser uma quarentena perpétua, porque economia é vida, emprego é vida também, você não pode passar eternamente, esperando por algo que não sabe quando vem", disse.

O empresário criticou ainda a falta de planejamento da Prefeitura de Teresina e do Governo do Estado, que segundo ele, ainda não apresentaram planos concretos para a retomada da economia. "Eu tenho medo da pandemia, mas a vida é um combate. Eu tenho medo também de desempregar os pais de família que trabalham comigo. Eu tenho receio também de não pagar meus fornecedores. Eu acho que é um sinônimo de ineficiência e incompetência 70 dias depois de iniciada a quarentena a prefeitura e o Governo do Estado ainda não serem capaz de dizer quando e de que forma a economia vai começar a rodar novamente. É muita gente desempregada, é muita gente dizendo que já demitiu muitas pessoas e isso dói demais", finalizou o empresário.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Covid-19: empresários decidem reabrir comércio e retomar obras no Piauí

João Mádison alerta que Estado quebrou e pede retorno do comércio

João Vicente Claudino diz que é momento de reabrir o comércio