Teresina - PI

Familiares de Deivid Ferreira podem ser indiciados por ajudar em fuga

"A pessoa que ofereceu a casa como refúgio do acusado, a princípio essa pessoa seria indiciada no crime de favorecimento real", relatou o advogado Júnior Torres.

Davi Fernandes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
08/08/2019 15h35 - atualizado 15h43

Em entrevista ao GP1 nesta quinta-feira (08), o advogado da família de Gabriel Brenno Nogueira da Silva Oliveira, Júnior Torres, disse que familiares que deram auxílio na fuga de Deivid Ferreira de Sousa podem ser indiciadas pelo crime de favorecimento.

Deivid Ferreira é acusado de balear o estudante Gabriel Brenno na cabeça, no dia 17 de julho, no Centro de Teresina, e em seguida fugiu. Seis dias depois, a vítima não resistiu e morreu no HUT. Com ajuda de familiares, o acusado ficou escondido em uma residência no bairro Verde Lar, na zona leste da Capital, que tentaram vender uma casa no valor de R$ 80.000,00 para custear a fuga de Deivid.

"Eu e outro advogado já conversamos sobre o caso e existem alguns pontos onde a gente pretende questionar o trabalho da polícia, pois precisam de atenção. Primeiro, o carro que foi utilizado para fuga do delito, não consta no inquérito, mas algumas informações surgiram que o carro foi devolvido em uma locadora de veículos e era utilizado como transporte de aplicativo em geral por duas pessoas que se apresentaram como advogados. Outro ponto, é a pessoa que ofereceu a casa como refúgio do acusado, a princípio essa pessoa seria indiciada no crime de favorecimento real”, relatou.

Prisão

Deivid Ferreira de Sousa, foi preso na manhã desta quarta-feira (07) no bairro Verde Lar, localizado na zona leste de Teresina. Ele estava escondido no interior de uma residência, quando os policiais fizeram incursão no imóvel e deram voz de prisão ao mestre de obras.

  • Foto: Hélio Alef/GP1Deivid Ferreira de SousaDeivid Ferreira de Sousa

Em seguida ele foi encaminhado para a sede da Secretaria de Segurança Pública do Estado Piauí (SSP-PI). De acordo com a SSP-PI, Deivid foi localizado após um trabalho em conjunto entre os investigadores do 1º DP com a Divisão de Capturas (DICAP) e a Diretoria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, que deram cumprimento ao mandado de prisão expedido no último dia 23 de julho.

Casa onde estava escondido

De acordo com o delegado Sérgio Alencar, do 1º DP, a residência onde Deivid estava escondido tinha ar-condicionado e até sistema de segurança. "O dono da residência faleceu em janeiro, a filha da dona da casa era amiga da família. Como a casa estava abandonada eles cederam essa residência para ele ficar. A residência estava muito bem mobiliada, tinha ar-condicionado, fogão, televisão, um sistema de segurança bom, toda gradeada, com portas gradeadas e muros altos, um local perfeito para ficar escondido", relatou.

"Desde o início nós estávamos no encalço dele e na manhã de hoje efetuamos a prisão. Ele está sendo interrogado pelo delegado Sérgio e depois disso vai ser encaminhado ao Poder Judiciário para ficar à disposição da Justiça", concluiu o delegado.

Relembre o caso

Gabriel Brenno foi baleado na cabeça na manhã do dia 17 de julho de 2019, em frente à pensão onde morava na Rua Paissandu, no centro de Teresina. De acordo com o 1º Batalhão da Polícia Militar, o autor do crime, identificado apenas como Deivid Ferreira de Sousa, de 34 anos, efetuou o disparo na vítima e se evadiu do local.

  • Foto: Arquivo PessoalGabriel BrennoGabriel Brenno

Câmeras de segurança flagraram o crime

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento exato em que o estudante Gabriel Brenno Nogueira da Silva Oliveira, de 21 anos, é baleado na cabeça no centro de Teresina. O crime aconteceu no dia 17 de julho, ao lado de um curso preparatório situado na Rua Paissandu. O jovem veio a óbito no dia 23, após passar seis dias internado no Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

O acusado de matar o estudante, Deivid Ferreira de Sousa, estacionou o carro próximo a pensão onde Gabriel Brenno estava hospedado por volta de 06h52. O indivíduo está com uma camisa branca, calça jeans e um boné vermelho.

Por volta de 7h, Gabriel fica em frente da pensão e é abordado pelo autor do crime. Então, o indivíduo efetua o disparo de arma de fogo. Em seguida, ele sai correndo em direção ao próprio carro.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Justiça mantém prisão de acusado de assassinar Gabriel Brenno

Família de Gabriel Brenno faz manifestação em frente ao Fórum Criminal

"Ele vai pagar pelo que fez com o meu filho", diz mãe de Gabriel Brenno

Acusado de matar Gabriel Brenno é preso no bairro Verde Lar

Família de Deivid Ferreira tentou vender casa para bancar fuga