Coronavírus no Piauí

FIEPI realiza nova pesquisa que indica recuperação no setor industrial

O presidente da FIEPI, Zé Filho explica que no Brasil a indústria tem se recuperado numa velocidade que supera as expectativas.

07/10/2020 14h58

A pesquisa Sondagem Industrial realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) no mês de setembro com dados referentes ao mês de agosto mantém a tendência de recuperação na atividade industrial e indicadores ficam próximos aos do mês de agosto de 2019.

O empresário industrial continua otimista em relação aos próximos seis meses, mas ainda se mantém cauteloso em relação a novos investimentos no próximo semestre.

O presidente da FIEPI, Zé Filho explica que no Brasil a indústria tem se recuperado numa velocidade que supera as expectativas, mas que é preciso que haja a manutenção da demanda em alta para que este crescimento seja sustentável.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Zé FilhoZé Filho

“Nem todos os setores tiveram um crescimento acentuado, mas com o aumento do consumo é natural que haja a recuperação de todos os segmentos industriais”, comenta Zé Filho.

Segundo o diretor de Assuntos Econômicos da FIEPI, Freitas Neto, a Sondagem industrial de agosto aponta para uma estabilidade nos indicadores pesquisados após a retomada das atividades econômicas no Estado e, principalmente, na capital Teresina, onde se encontram a maioria das industrias pesquisadas.

A pesquisa aponta que o volume da produção das indústrias no mês de agosto de 2020 em comparação com o mês de julho está na estabilidade de 43,3%, índice semelhante a agosto de 2019 que foi de 43,9%. O nível de utilização da capacidade instalada em relação ao usual, embora tenha apresentado uma pequena queda em comparação ao mês de julho de 2020 apresenta percentual de 34,3% igual ao usual, também muito próximo a agosto de 2019, que foi de 36,6%”.

“Quanto a evolução do número de empregados houve, como era de se esperar pela abertura das atividades, uma estabilidade de 65,7%, superior a julho de 2020, que foi de 61,5% e também superior a agosto de 2019, que foi de 51,2%. Este fato foi decorrente do grande percentual de demissões, ocasionadas pela Pandemia do Novo Coronavírus, principalmente nos meses de abril e maio de 2020. Estes percentuais de agosto de 2020 revelam as indústrias voltando a contratar empregados”, pontua Freitas Neto.

O indicador de estoque de produtos finais ao fim do mês com relação ao planejado/desejado também apresenta evolução em agosto, chegando a 31,3% igual ao planejado.

Perspectivas para os próximos seis meses

Analisando as perspectivas para os próximos 6 meses observa-se um cenário otimista para o setor da indústria. A demanda por produtos em agosto apresentou expectativa de aumento de 65,7%, percentual superior a julho de 2020 que foi de 56,9%. Se compararmos este percentual a agosto de 2019, que foi de 63,4% observa-se quase o mesmo índice.

A expectativa no aumento no número de empregados também foi otimista, passando de 20% em julho de 2020 para 26,9% em agosto.

A expectativa para aumento de compra de matéria prima também cresceu de 43,1% em julho para 56,7% em agosto de 2020.

O indicador mais tímido do período ainda tem sido o de intenção de investimento nos próximos 6 meses, apenas 29,9% das indústrias pesquisadas demonstrou alguma intenção em investir. Este percentual era de 43,9% em agosto de 2019. Este dado reflete uma certa cautela das indústrias em investir neste momento de pandemia.]

NOTÍCIAS RELACIONADAS

FIEPI realiza pesquisa que aponta recuperação na atividade industrial

FIEPI diz que volume de produção industrial apresentou queda acentuada

Presidente da FIEPI pede a Wellington o retorno das atividades econômicas

Mais conteúdo sobre: