Teresina - PI

Firmino Filho defende lockdown como condição para reabrir o comércio

"Daqui a duas ou três semanas, se intensificarmos o isolamento, reduziremos as taxas. Através do lockdown de três a quatro dias, gradativamente, poderemos retomar as atividades”, explanou Firmino. 

Germana Chaves
Teresina
24/06/2020 11h35 - atualizado 11h36

Em live realizada na manhã desta quarta-feira (24) para apresentar os dados da 10ª etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada em Teresina, o prefeito Firmino Filho (PSDB) voltou a defender o lockdown como medida para barrar a disseminação do novo coronavírus (Covid-19) e assim promover a reativação das atividades econômicas de forma gradual e segura.

Firmino disse que apresentou a proposta de bloqueio total ao governador do Piauí, Wellington Dias (PT-PI), ao Ministério Público e aos empresários. "Daqui a duas ou três semanas, se intensificarmos o isolamento, reduziremos as taxas. Através do lockdown de três a quatro dias, gradativamente, poderemos retomar as atividades”, explanou Firmino.

Ainda de acordo com o prefeito, Wellington se comprometeu a dialogar com o Judiciário e o Ministério Público sobre a proposta de lockdown. “O governador ficou de conversar com a Justiça e Assembleia. O retorno será gradual, mas não baseado em expectativas, mas em realidade. A retomada tem que se partilhada entre as instituições”, sugeriu Firmino.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Prefeito Firmino FilhoPrefeito Firmino Filho

Pesquisa

De acordo com os dados da pesquisa, Teresina registrou a menor taxa de crescimento desde o início da pandemia com um índice de 17%. A taxa apresentada na pesquisa anterior era de 42%. Ainda conforme a sondagem realizada em parceria com o Instituto Opinar, Teresina possui 156.623 casos positivos de coronavírus, que representa 18.11% da população.

Esses dados revelam que os casos subnotificados ainda são 35 vezes maiores do que os notificados. “Na última semana ainda teve crescimento nos casos, mas foi a menor taxa de crescimento. Estamos na parte da curva que está cada vez menor. A subnotificação vai caindo, mas ainda é expressiva. A maioria das pessoas é assintomática e os casos positivados são de pessoas com sintomas e foram à rede de saúde e foram registrados”, explicou Firmino.

Transmissibilidade

O R0 (R zero) mais conhecido como taxa de transmissibilidade, ficou em 1,06. Foi maior do que a pesquisa anterior que estava em 0.83. “Mesmo com o crescimento, esse dado nos mostra uma estabilização”, acrescentou o prefeito.

Pico da doença

Firmino Filho falou ainda que, com base na pesquisa, o pico de coronavírus deve acontecer no próximo mês, em julho. “Estamos muito próximos ou já estamos no pico”, disse o chefe do Palácio da Cidade.

De acordo com a pesquisa, o pico da doença na cidade de Teresina poderá acontecer no mês de julho. “Os dados mostram que estamos muito próximos do pico ou que já estamos nele. Com novos dados poderemos confirmar essa previsão. O setor de matemática da Universidade Federal do Piauí previa o pico para 10 de junho”, afirmou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Wellington anuncia novos leitos de UTI para o Hospital Justino Luz

Wellington Dias discute flexibilização econômica com Sesi e Sebrae

Wellington Dias prorroga decreto e mantém comércio fechado por mais 15 dias

Saiba quais são os bairros de Teresina com mais casos de coronavírus